Elétricos com mais de 1000 km de autonomia? BMW não acha necessário

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Baterias

Elétricos com mais de 1000 km de autonomia? BMW não acha necessário

A próxima geração de baterias da BMW vai permitir uma maior autonomia, mas há um limite que não será ultrapassado, o dos 1000 km.

A BMW acaba de apresentar novos detalhes acerca da sua próxima geração de baterias (e, por sua vez, de carros elétricos), que se vão destacar por oferecer uma maior velocidade de carga e mais autonomia.

Mas apesar deste incremento na capacidade das baterias dos seus elétricos, a marca de Munique já estabeleceu um limite máximo de autonomia: 1000 quilómetros.

Quem o diz é Thomas Albrecht, o diretor da BMW Efficient Dynamics, que em declarações à Autocar admitiu: “As baterias Gen6 vão dar-nos mais 30% de autonomia que as atuais Gen5, mas não vamos além dos 1000 km de autonomia, mesmo que possamos”.

A NÃO PERDER: Futuro elétrico da BMW M? Revelado protótipo com quatro motores elétricos
baterias BMW elétricos

“Não achamos que uma autonomia tão longa seja necessária”, explicou Thomas Albrecht à referida publicação britânica, reforçando a ideia de que uma autonomia máxima de 1000 km será mais do que suficiente para servir as necessidades dos clientes da marca bávara.

Mesmo assim, uma autonomia extensa está longe de ser o único trunfo que a nova geração de baterias da BMW, que vai chegar em 2025, promete acrescentar aos elétricos da marca de Munique.

baterias BMW elétricos

Baterias mais leves e mais finas

“A sexta geração (…) das nossas células de iões de lítio trará um grande salto na tecnologia que vai permitir aumentar a densidade da energia em mais de 20%, vai melhorar a velocidade de carregamento em até 30% e aumentar a autonomia em 30%”, informou Frank Weber, responsável de desenvolvimento e membro do conselho de administração da BMW.

A somar a isto, e além de uma redução significativa ao nível das emissões de CO2 durante a fase de produção, estas novas células de baterias, que terão uma forma cilíndrica, vão permitir que os packs de baterias possam ser cerca de 20% mais leves.

LEIAM TAMBÉM: Uma tecnologia não basta. Futuro da BMW com elétricos, fuel cell e combustão

Estas modificações ao nível das células das baterias, que usam menos cobalto mas mais níquel e que serão fornecidas pelas empresas chinesas CATL e EVE, vão permitir criar packs de baterias mais finos e dar uma maior versatilidade em termos de instalação.

Quando for introduzida, em 2025, a nova geração de baterias Gen6 vai começar a ser usada pela BMW, MINI e Rolls-Royce.

Fonte: Autocar

Sabe responder a esta?
Qual era a potência máxima da BMW M5 Touring (E61)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

As carrinhas desportivas mais radicais de sempre: BMW M5 Touring (E61)

Mais artigos em Notícias