Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Emissões

Governo checo também quer prolongar “vida” dos motores de combustão

Após o governo italiano, agora é o governo checo a defender os motores de combustão, indo contra a proposta da União Europeia de os abandonar em 2035.

O governo da República Checa, através do seu primeiro-ministro Andrej Babis, disse que pretende defender a indústria automóvel no seu país desafiando a proposta da União Europeia que dita, por consequência, o fim dos motores de combustão nos automóveis novos em 2035.

Depois do governo italiano ter afirmado estar em conversações com a Comissão Europeia para prolongar a “vida” dos motores de combustão para os seus supercarros pós-2035, também o governo checo procura prolongar a existência do motor de combustão, mas para toda a indústria.

Em declarações ao jornal online iDnes, o primeiro-ministro Andrej Babis afirmou que “não concordarmos com o banir da venda de automóveis que recorrem a combustíveis fósseis”.

VEJAM TAMBÉM: Fim dos motores de combustão. Porsche não quer exceção para supercarros italianos
Skoda Octavia Combi 2.0 TDI
A República Checa tem na Skoda a sua principal marca de automóveis nacional, assim como o seu maior produtor de automóveis.

“Não é possível. Não podemos ditar aqui o que fanáticos verdes inventaram no Parlamento Europeu”, Andrej Babis rematou enfaticamente.

A República Checa vai assumir a presidência da União Europeia no segundo semestre de 2022, onde o tópico da indústria automóvel será uma das prioridades do executivo checo.

Por outro lado, apesar destas declarações, o primeiro-ministro afirmou que o país continuará a apostar na expansão da rede de carregamento para automóveis elétricos, mas não pretende subsidiar a produção deste tipo de automóveis.

Andrej Babis, que procura a reeleição no próximo mês de outubro, está a dar prioridade à proteção dos interesses nacionais, onde a indústria automóvel assume particular importância, pois representa praticamente um terço da economia do país.

Além de ser o país onde nasceu a Skoda, que tem em operação no país duas fábricas, também a Toyota e a Hyundai produzem automóveis no país.

Fonte: Automotive News.

Mais artigos em Notícias