Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Badge Engineering

As muitas máscaras do Opel Kadett

O último Opel Kadett acabou por ser vendido por várias marcas e teve muitos nomes, sendo um dos mais profícuos exemplares da prática de badge engineering.

O Opel Kadett foi durante longas décadas o familiar compacto por excelência na marca alemã. O nome só seria abandonado em 1991 com o surgimento do Astra, apesar do nome Astra ser um dos muitos nomes pelo qual o Kadett ficou conhecido: foi o nome atribuído pela britânica Vauxhall às duas últimas gerações do modelo (D e E).

Mas o Vauxhall Astra não foi a única “máscara” usada pelo Opel Kadett. Fazendo parte do então maior grupo automóvel do mundo, a General Motors, o modelo da Opel acabaria por servir mais marcas e ter mais nomes dentro do império norte-americano.

Aliás, o último Opel Kadett (E) acabaria por ser tornar num dos exemplares onde a prática de badge engineering foi mais longe. A bem da verdade, poderíamos afirmar que era a forma preferida de atuar da General Motors (GM) na altura, o que acabou por prejudicar mais muitas das suas… muitas marcas, do que as beneficiar.

VÊ TAMBÉM: Não estão a ver mal. É mesmo um Honda
Opel Kadett
Opel Kadett E (1984-1993)

A prática de badge engineering (engenharia de emblema) é comum na indústria automóvel e praticamente tão antiga como ela. Essencialmente, não é mais do que vender o mesmo carro por várias marcas, onde as diferenças resumem-se praticamente apenas ao símbolo ostentado pelo modelo.

Daí o termo algo sarcástico badge engineering, pois o único trabalho de “engenharia” parece ser mesmo esse: o de trocar o símbolo de uma marca por outro. É possível haver diferenças cosméticas, ainda que as mesmas não impliquem, por norma, alterações na carroçaria, de modo a não elevar os custos na produção.

No caso do Opel Kadett (E), além dos já mencionados Vauxhall, que há muito é apenas o reflexo britânico da Opel alemã, acabou por ultrapassar as fronteiras europeias e acabou por ser vendido em vários pontos do mundo, mas através de diferentes marcas e até regressaria à Europa como um Daewoo — lembram-se do Nexia?

Daweoo Nexia
Daweoo Nexia
VÊ TAMBÉM: Parece um RAV4 mas não é. Eis o novo Suzuki Across

Todas as máscaras do Opel Kadett

Além do Vauxhall Astra no Reino Unido, nos Estados Unidos da América foi vendido como Pontiac Le Mans, no Brasil como Chevrolet Kadett e no Canadá como os obscuros Passport Optima e posteriormente como Asüna (marca) GT e SE.

Mas seria com a Daewoo, a marca sul-coreana, que o Opel Kadett teria o seu maior número de “disfarces”. Tivemos o Daewoo Le Mans, Racer, Fantasy, Pointer, Cielo, Nexia, Super Racer, Heaven. Os nomes mudavam de acordo com o mercado onde eram vendidos. Alguns destes, tal como o “nosso” Nexia, que foram lançados na década de 90, eram versões reestilizadas (nova frente e traseira) do descontinuado Kadett E.

Mais artigos em Clássicos