Street Art

SEAT Art Cities. O roteiro da street art nacional chega a Matosinhos

No roteiro da Street Art Portuguesa, paragem obrigatória por Matosinhos, no distrito do Porto, é o que propõe a iniciativa SEAT Art Cities.

SEAT Art CitiesÉ o nome do projeto da SEAT, em parceria com o artista Vhils, o curador desta iniciativa, que te convida a conhecer o grande roteiro de Street Art Portuguesa, de Norte a Sul do país.

Depois de ter passado por Braga, Carvoeiro e Lisboa, é a vez de Matosinhos, no distrito do Porto, ser destacado neste roteiro de arte urbana nacional, tendo como anfitriões a dupla de artistas Draw & Contra.

Usando as paredes e o aerossol como forma uma forma de expressão e influenciados pela cultura hip hop, Draw & Contra cruzaram caminhos há mais de 10 anos. Desde então iniciaram uma colaboração que se iniciou no graffiti e evoluiu para a construção de murais, com os retratos de Draw a serem complementados com a abstração e tipografia de Contra.

VÊ TAMBÉM: SEAT Art Cities. O melhor da arte urbana nacional sem sair de casa
Draw & Contra
Draw & Contra

Diversidade não tem faltado nas suas criações — coloridas e monocromáticas, figurativas e geométricas, humanas e plásticas — garantindo-lhes também o reconhecimento internacional.

Altura de os conhecer e às suas obras em mais detalhe, assim como vários pontos de interesse da cidade de Matosinhos. Nesta viagem de descoberta artística do litoral norte temos ainda a companhia da atriz e apresentadora Madalena Brandão, que se desloca num SEAT Tarraco, o SUV topo de gama da marca espanhola:

Nós geralmente gostamos de pensar nos sítios onde vamos intervir tendo alguma atenção aquilo que é a parte sociocultural da envolvente dos nossos murais. Matosinhos é realmente uma cidade criativa, muito ligada à arquitetura, a nomes como Siza Vieira e Souto Moura. Ligada a pessoas que são criativas e que pensam a cidade e que pensam para a cidade. No fundo o nosso trabalho surgiu um bocado por aí: representar o pensador, o criativo; (Draw)

No fundo, destas paredes tentamos reproduzir as texturas da cidade: cartazes, tags, o próprio graffiti. Em semelhança à música e ao hip-hop, na construção abstrata também utilizo o sample, samplear várias coisas que vejo: cores, texturas, formas”. (Contra)

Frederico "Draw" e Rodrigo "Contra"

 

Mais artigos em Notícias