Arranque a Frio

Trabant 601: já não se fazem carros como antigamente

No Arranque a Frio de hoje propomos uma viagem no tempo à linha de produção do pequeno Trabant, um dos símbolos da ex-República Federal da Alemanha.

O muro de Berlim caiu em 1989, há mais de 30 anos, e foi o princípio do fim para o pequeno, mas resiliente Trabant 601, cuja produção terminaria dois anos depois. Mais de três milhões de unidades saíram da sua linha de produção desde 1957 — permaneceu mais de 30 anos em produção sem grandes alterações.

O Trabant tornou-se um símbolo da ex-República Federal da Alemanha, ou Alemanha de Leste, sendo uma das poucas opções disponíveis e acessíveis para aqueles que podiam adquirir um carro.

Quando foi lançado na década de 50, até podia ser considerado algo avançado, devido à sua carroçaria em polímero termofixo, tração dianteira e motor colocado em posição transversal — dois anos antes do Mini original. A simplicidade caracterizava-o: o motor era um pequeno dois cilindros a dois tempos.

O fascínio à volta do Trabant 601 estende-se à sua linha de produção, como podemos ver neste vídeo e na forma como alguns operários garantiam que tanto o capot como as portas fechassem convenientemente: um martelo, pontapés, e pura determinação… É o que basta!

VÊ TAMBÉM: Conhece a fábrica milionária do Bugatti Chiron

Sobre o “Arranque a Frio”. De segunda a sexta-feira na Razão Automóvel, há um “Arranque a Frio” às 8h30 da manhã. Enquanto bebes o teu café ou ganhas coragem para começar o dia, fica a par de curiosidades, factos históricos e vídeos relevantes do mundo automóvel. Tudo em menos de 200 palavras.

Mais artigos em Notícias