Vídeo

O efeito terapêutico de conduzir (um BMW M3 E30)

Se dúvidas houvesse sobre o prazer de conduzir, ou até dos seus efeitos terapêuticos, este pequeno filme com um BMW M3 E30 retira-as todas.

Se há algo que une todos os entusiastas automóveis, independentemente das suas preferências, é o prazer de conduzir. Este pequeno filme não o podia demonstrar melhor, para mais, tendo como principal protagonista o BMW M3 E30, um carro que já faz parte do panteão dos automóveis.

“A Entrevista” é o título desde pequeno filme — do canal Driven Motion — e conta-nos a história de um homem, Kevin, que vai a uma entrevista de trabalho e esta não corre como o esperado.

Desiludido e abatido, regressa ao seu carro, um (alterado, mas impecável) BMW M3 E30 para uma última “volta”. Última volta? Pois, a entrevista não correu bem, quase de certeza que não conseguiu o trabalho e é praticamente certo que terá de vender o seu carro. É a partir desse momento que a “magia” começa…

A NÃO PERDER: Conduzir, precisa-se!

Começamos por ver o seu estado de espírito ainda bastante em baixo no início da viagem. Mas agora em movimento, a experiência sensorial que é o ato de conduzir, para mais aos comandos de um muito especial e único M3 tem tudo para assaltar os sentidos: o som (grave e ríspido) do motor, a resposta imediata do acelerador, o engrenar de mais uma relação…

É impossível ficar impávido e sereno, e acredito que muitos de vocês que nos estão a ler já passaram pelo mesmo… Apesar do dia não ter corrido nada bem ao Kevin, não foi preciso esperar muito para esboçar um largo sorriso de satisfação — haverá melhor efeito terapêutico que simplesmente conduzir? Também achamos que não…

História com final feliz? Bem, no final do filme o BMW M3 E30 de Kevin vê-se acompanhado por um (também alterado) Nissan Skyline GT-R R32 — vejam o filme e descubram qual o seu papel nesta história.

E nunca deixem de conduzir…

A NÃO PERDER: E tu, também conduzes para descomprimir?

Mais artigos em Crónicas