Especial Honda

A Honda que não conheces (dos robôs aos aviões)

A área de atuação da Honda é (bem) mais abrangente do que a indústria automóvel. Desde robôs a aviões, a Honda parece fazer de tudo um pouco.

Conhecida pela maioria das pessoas pela sua divisão automóvel, não deixa de ser curioso que esta não tenha sido uma das primeiras a nascer no universo Honda. Se a Honda Motor Co. Lda. nasceu em 1948 e a produção automóvel só começou em 1963, o que é que andou a Honda a fazer até lá?

A verdade é que desde motores auxiliares para bicicletas até motocultivadores, passando por motas, antes de o primeiro automóvel Honda sair da linha de produção, já o nome Honda surgia em vários veículos e máquinas um pouco por todo o lado.

Motas: os primórdios da Honda

O início da Honda deu-se com apenas duas rodas, com Soichiro Honda a comprar uma série de pequenos motores usados pelo exército para alimentar rádios e vendendo-os como motores auxiliares para bicicletas. Quando o stock destes acabou, a Honda lançou-se na produção dos seus próprios motores nascendo por essa altura a primeira mota Honda, a modelo A.

Honda Type A engine

O sucesso não foi imediato e apesar de os modelos A, B e C venderem razoavelmente, foi preciso esperar a chegada da letra D para a Honda começar a obter resultados realmente satisfatórios. Mais conhecida como Honda Dream D, apesar de um começo tremido devido ao motor a dois tempos, a chegada de um motor a quatro tempos tornou-a num sucesso de vendas.

Honda Dream D Type
Honda Dream D Type 1949

No entanto, o maior sucesso da Honda viria a dar pelo nome de Super Cub. Lançada em 1958, ainda hoje se encontra em produção e dela já foram produzidas mais de 100 milhões de unidades. Originalmente com apenas 50 cm3, o facto de ter um motor a quatro tempos, oferecer baixos consumos, ser fiável e ter uma embraiagem centrifuga fizeram dela um best seller.

Honda Super Cub C125
Honda Super Cub C125

Ao mesmo tempo que ia crescendo no mercado, a Honda foi apostando no desporto. A entrada deu-se em 1954 com participações em provas como o famoso TT da Ilha de Man, onde só em 1959 a Honda conseguiu conhecer o sabor do sucesso. Escusado será dizer que depois de o fazer, a marca atingiu uma dimensão global até então desconhecida.

A ligação entre a Honda não ficou por aí e entre modelos citadinos como a PCX, até outros prontos para ir até ao “fim do mundo” como a CRF1000L Africa Twin, passando por autênticos “sofás” como a GL1800 Gold Wing, a Honda foi cimentando o seu papel na indústria até se tornar num dos maiores construtores mundiais de motas.

Motores Honda, na terra e na água

Desde barcos até motoenxadas, passando por corta-relvas ou geradores, há muitos anos que o nome Honda surge nos mais diversos aparelhos.

O primeiro motor multiusos da Honda remonta a 1952, designado Type H, viria a lançar as bases da Power Products Division da Honda cujos produtos ainda hoje encontramos à venda e como líderes de mercado.

Motor Honda Type H

Ao Type H seguir-se-ia a primeira incursão da Honda pelo mundo agrícola, a motoenxada F150 em 1959. Desde então, a marca nipónica viria a lançar muitos mais produtos dedicados a este setor, como a pequena motoenxada F200 Komame que veio revolucionar o mercado na década de 70.

Ainda fruto do trabalho da Honda Power Products Division encontramos geradores, cujas origens remontam a 1963 e ao pequeno E300, motores fora de bordo destinados a barcos e que descendem do GB30 nascido em 1964, e ainda corta-relvas como o HR21 de 1978 e cujos “descendentes” ainda hoje encontramos nos jardins de todo o mundo.

A Honda parte para o ar

Tendo em conta a paixão de Soichiro Honda por aviões (aos 25 anos aproveitou a distração de um piloto francês que fazia a escala em Tóquio para voar pela primeira vez), não é de admirar que a marca por si fundada se viesse a envolver no ramo aeronáutico.

Assim, depois de em 1986 ter começado a investigar e a desenvolver aviões compactos e motores a jato (investigação e desenvolvimentos esses que se prolongaram pela década de 90), em 2006 viria a ser fundada a Honda Aircraft Company.

Honda Jet

Já em 2015, a Honda Aircraft Company veria a entidade responsável pela certificação de aviões nos Estados Unidos da América, a FAA (Federal Aviation Administration), aprovar o HondaJet, o que permitiu à marca começar a vender o seu pequeno jato.

Robôs, a Honda do futuro

Por fim, para além de produzir automóveis, motas, aviões, motores estáticos, motores fora de bordo e várias máquinas agrícolas e dedicadas à jardinagem, a Honda está também envolvida na área da robótica.

Através da divisão Honda Robotics, a marca nipónica tem vindo a desenvolver robôs há já algumas décadas, sendo o melhor (e mais conhecido) exemplo do seu trabalho o ASIMO, um robô humanóide que a marca lançou no ano 2000 (e desde então tem vindo a atualizar) e que resultou de um trabalho iniciado em 1986 para criar um robô que andasse como o ser humano.

Para além do ASIMO, a Honda Robotics tem-se também dedicado à criação de várias tecnologias e robôs destinados a ajudar o ser humano, principalmente indivíduos com mobilidade reduzida. Prova disso é o 3E Robotics Concept que a marca revelou no CES 2018 e que demonstra uma série de tecnologias experimentais desenvolvidas para compreender as necessidades das pessoas e como as ajudar.

Este conteúdo é patrocinado porHonda