Fórmula 1

GP do Japão. Mercedes contra Ferrari com um tufão a ameaçar a corrida

Com o GP do Japão ameaçado pelo tufão Hagibis, a Mercedes e a Ferrari preparam-se para mais um capítulo de um duelo que tem vindo a aquecer.

Depois de na Rússia os receios da Mercedes fazer história pela negativa não terem sido confirmados (conseguiu evitar ficar quatro corridas seguidas sem vencer, algo que não acontece desde 2014), a equipa alemã chega ao GP do Japão com a motivação em alta.

Afinal de contas, no GP da Rússia a Ferrari não só viu a mecânica trair Vettel como voltou a dar que falar pela (má) gestão de pilotos e pelas ordens de equipa.

Face a isto, o GP do Japão surge como um “tira-teimas”, com a Mercedes a querer confirmar que venceu na Rússia por mérito próprio e não apenas por demérito da Ferrari. Por outro lado, a equipa italiana surge com o objetivo de mostrar que está capaz de ultrapassar resultados menos positivos e a melhor forma de o fazer é com um regresso às vitórias.

VÊ TAMBÉM: Encontrar os campeões de Fórmula 1 do futuro sai caro, muito caro

Por fim, a Red Bull surge como um outsider nesta luta a dois. No entanto, tendo em conta que a equipa recorre a motores Honda não se deve descurar as possibilidades de um bom resultado de Max Verstappen, principalmente porque toda a equipa deverá estar motivada por correr “em casa”.

O Circuito de Suzuka

Desenhado no final dos anos 50 do século passado a pedido de Soichiro Honda para que fosse uma pista de testes da marca japonesa, o Circuito de Suzuka já acolheu a Fórmula 1 por 31 vezes.

Estendendo-se ao longo de 5,807 km, o circuito conta com um total de 18 curvas e é um dos favoritos dos pilotos. O piloto mais bem sucedido em Suzuka é Michael Schumacher que por lá venceu seis vezes, sendo seguido por Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, cada um com quatro triunfos.

Quanto às equipas, a McLaren e a Ferrari surgem empatadas entre as mais bem sucedidas em Suzuka, com cada uma a apresentar sete vitórias.

VÊ TAMBÉM: Sabes quantos litros de combustível Portugal consome por dia?

O que esperar do GP do Japão?

Se há acontecimento que tem marcado este GP do Japão é a passagem do tufão Hagibis por Suzuka. A FIA viu-se obrigada a cancelar todas as atividades de sábado (ou seja, o terceiro treino livre e a qualificação), passando por isso a qualificação para domingo.

Por falar em treinos livres, depois de já se terem realizado as duas únicas sessões (a terceira foi cancelada) a Mercedes dominou, seguida do Red Bull de Max Verstappen e com os Ferrari a ficarem em quarto e quinto lugar. Note-se que, caso a qualificação seja cancelada, esta será a ordem da grelha de partida.

No que diz respeito à prova,  o mais provável é que se volte a assistir um duelo entre a Ferrari e a Mercedes. No entanto, caso as previsões de chuva se confirmem a Red Bull é uma força a ter em conta, principalmente quando corre no país natal do seu fornecedor de motores.

VÊ TAMBÉM: Carros autónomos para quê? Queremos bolas de golfe autónomas

Já no restante pelotão, a McLaren continua a surgir como a equipa a bater, seguida da Renault, Racing Point e da Toro Rosso. Por fim, entre a cauda do pelotão, a Alfa Romeo deverá tentar esquecer os maus resultados que a têm “perseguido” e afastar-se da Haas, enquanto a Williams surge como a principal candidata… aos últimos lugares, como tem sido habitual.

Caso não seja cancelado devido ao tufão Hagibis, o GP do Japão tem começo marcado para as 6h10 (hora de Portugal continental) de domingo. Já a qualificação está marcada para domingo às 2h00 (hora de Portugal continental).

Sabes responder a esta?
Qual era a cilindrada do Mercedes-Benz 500E?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

O primeiro “Panamera” foi um… Mercedes-Benz 500E

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos