Greve

Greve dos motoristas de matérias perigosas: fica a saber onde abastecer

A quatro dias de nova greve dos motoristas de matérias perigosas e depois de o Governo ter decretado os serviços mínimos, fica a saber onde podes abastecer.

Depois de ver goradas as tentativas de voltar a sentar à mesma mesa sindicatos e patrões, o Governo decretou ontem os serviços mínimos em preparação para mais uma greve dos motoristas de matérias perigosas.

Depois de uma semana em que a venda de combustível subiu 30% e em que alguns postos chegaram a comprar o quádruplo do combustível, o Executivo de António Costa estabeleceu os serviços mínimos em 100% para portos, aeroportos, aeródromos, instalações militares, proteção civil, bombeiros, forças de segurança, hospitais e emergência médica.

Já os transportes de passageiros (rodoviário, ferroviário e fluvial), os setores das telecomunicações, água e energia, os serviços de transporte de medicamentos e bens destinados a prisões, instituições de solidariedade, instituições para pessoas idosas e crianças e o transporte de bens alimentares e primeira alimentação para animais têm serviços mínimos de 75%.

VÊ TAMBÉM: Há matéria-prima suficiente para fazer baterias para tantos elétricos?

Por fim, com serviços mínimos de 50% ficam os postos de combustíveis regulares e “o abastecimento de gasóleo colorido e marcado e o abastecimento de combustíveis destinados a postos privativos ou cooperativos de empresas de transportes rodoviários de mercadorias”.

Onde abastecer?

Tendo decretado, preventivamente, o estado de emergência energética, o Governo estabeleceu ainda que a Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA) vai contar com serviços mínimos de 100%, contando esta rede com 374 postos: 54 destinados a veículos prioritários e 320 para o público em geral. Consulta a lista:

Tal como aconteceu na última greve, já foi lançado um site onde podes consultar os postos de combustível da rede de emergência e a se este têm ainda combustível ou se já há alguma rotura de stock.

VÊ TAMBÉM: Campeões dos consumos. Quais os carros que gastam menos?

As reações aos serviços mínimos

Tal como era expectável, as reações aos serviços mínimos decretados pelo Governo não se fizeram esperar. Assim, a ANTRAM considerou a ação do Executivo “uma medida cautelar correta” com o porta-voz da associação, André Matias de Almeida, a afirmar que “Cinquenta por cento é mais do que justo” e que “é uma greve contra os portugueses, mais do que contra as empresas”.

VÊ TAMBÉM: Testámos o BMW i3s: agora só em modo elétrico

Já do lado dos sindicatos, a UGT afirmou estar do lado do Governo, declarando que “o Governo fez o que lhe competia” e que a “greve é desproporcionada” mas que os serviços mínimos estabelecidos “não fazem os motoristas perder”.

Quanto ao SIMM (Sindicado Independente dos Motoristas de Mercadorias), o porta-voz Anacleto Rodrigues afirmou que o sindicato vai tentar a “impugnação dos serviços mínimos”.

Por fim, a FECTRANS afirmou: “No contexto desta greve por tempo indeterminado e da campanha desenvolvida em torno dela, o Governo determinou o despacho de serviços mínimos, que na prática são serviços máximos, que pela sua dimensão limitam esse direito por parte dos trabalhadores do setor”.

Sabes responder a esta?
Qual é a potência do Smart EQ fortwo?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Smart EQ fortwo nightsky edition: um vislumbre do futuro?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos