Citroën C5 Aircross, o regresso do “tapete voador”

No ano em que a Citroën celebra o seu 100º aniversário assistimos à chegada do seu mais recente membro da ofensiva SUV, o C5 Aircross.

Num espaço saturado e caracterizado pela agressividade, seja ela visual ou comportamental, o novo Citroën C5 Aircross trilha um caminho distinto dos seus pares, mais reconfortante e acolhedor.

O novo Citroën C5 Aircross expressa-o em toda a sua plenitude. Seja pelas suas proporções e linhas, robustas como se quer num SUV, mas suaves nas transições, sem vincos desnecessários, sem “gritar” para se fazer ver. Seja pelas soluções tecnológicas incorporadas, que vão ao encontro de uma das características intrinsecamente ligadas à história da marca gaulesa: o conforto.

A extensão da definição de conforto levou à criação do programa Citroën Advanced Comfort® que engloba as mais diversas áreas e parâmetros, desde a iluminação à conectividade, da ergonomia à modularidade, da estabilidade da carroçaria ao amortecimento.

Os "tapetes voadores"
Historicamente, a Citroën tem sido uma referência na qualidade do amortecimento, capaz de filtrar e isolar como poucos os ocupantes das irregularidades encontradas. Tudo devido às suspensões hidropneumáticas que marcaram gerações de modelos Citroën: DS, CX, GS ou, mais recentemente, o Xantia Activa ou o C6. Tão confortáveis que eram, que rapidamente foram apelidados de "tapetes voadores".

O regresso do “tapete voador”

Um dos pilares deste programa são as novas suspensões de batentes hidráulicos progressivos. O novo Citroën C5 Aircross contribui decisivamente para o regresso dos “tapetes voadores” com esta nova suspensão, mais um capítulo no desenvolvimento secular de sistemas de suspensão que apostam no conforto.

O princípio por detrás do seu funcionamento é simples, mas os resultados não deixam de convencer. A nova suspensão conta não só com os esperados amortecedor e mola, como adiciona dois batentes hidráulicos — um para extensão e outro para compressão —, com a suspensão a funcionar em duas fases dependendo do tipo de irregularidade que tem de lidar.

Em caso de compressões e extensões ligeiras, os batentes hidráulicos não chegam a ser necessários, com o amortecedor e mola a conseguirem controlar eficazmente o movimento vertical da carroçaria. No entanto, a presença dos batentes hidráulicos garantem maior liberdade de articulação à suspensão, garantindo o efeito “tapete voador”, ou seja, como se o Citroën C5 Aircross “voasse” sobre as rugosidades do alcatrão.

Em caso de compressões e extensões pronunciadas, a mola, o amortecedor e os batentes hidráulicos (de compressão e extensão) trabalham em conjunto, abrandando o movimento de forma progressiva, evitando assim a paragem brusca que geralmente ocorre no fim do curso da suspensão. Contrariamente a um batente mecânico tradicional, que absorve a energia mas restitui uma parte da mesma, o batente hidráulico absorve e dissipa essa mesma energia. O rebound (movimento de recuperação da suspensão), deixa de existir.

Citroën C5 Aircross

Esta inovação técnica por parte da Citroën garante ao novo C5 Aircross — e não só, já que esta solução já é e será estendida a mais modelos —, elevados níveis de conforto, de acordo com os pergaminhos da marca.

Mais rígido, mais denso, mais confortável

Juntamente com a suspensão de batentes hidráulicos progressivos — que originou o registo de 20 patentes —, o programa Citroën Advanced Comfort® incorpora também novas formas de união na carroçaria e novos bancos.

No primeiro caso, as várias peças que fazem parte do corpo do novo Citroën C5 Aircross recorrem a novas técnicas de união como adesivos industriais, que não só contribuem para o aumento de rigidez estrutural em 20% (essencial para o correto funcionamento da suspensão) sem aumento de peso, como permite reduzir as vibrações geradas após o processo de amortecimento.

Citroën C5 Aircross, estrutura

No segundo caso, os bancos Advanced Confort, inspirados pelo mundo das… camas, foram otimizados no seu desenho, respeitando a curva natural das nossas costas. O seu contributo para reduzir ainda mais as vibrações geradas pelas irregularidades da estrada advém do adicionar de vários tipos de espumas de alta densidade dispostas em camadas, evitando uma má postura após longas horas de condução.

Múltipla escolha

Não existe apenas um Citroën C5 Aircross, mas sim múltiplos, capazes de se adaptarem a todas as necessidades e gostos. Comum a todos eles é o elevado nível de conforto a bordo.

O novo C5 Aircross está disponível com três níveis de equipamento — Live, Feel e Shine; 30 combinações exteriores — sete cores que podem ser combinadas com o tejadilho Preto Perla Nera e ainda três packs de cores; cinco ambientes interiores; e por fim, quatro motorizações e duas transmissões — duas a gasolina e duas a gasóleo, e caixa manual de seis velocidades e automática de oito EAT8.

A gasolina podemos encontrar o 1.2 PureTech com 130 cv e caixa manual, disponível nos três níveis de equipamento; e o 1.6 PureTech com 180 cv e caixa EAT8, disponível só no nível Shine. A gasóleo, temos o 1.5 BlueHDI, com 130 cv, disponível tanto com a caixa manual como com a automática.

Citroën C5 Aircross 2018
Advertisement

Advertisement

Advertisement

Este conteúdo é patrocinado porCitroën

Mais artigos em Branded Content

Os mais vistos