Pára-choques

Se és fã dos Airbumps da Citroën ias adorar estes Waterbumps (pára-choques de água)

Ok, inventámos o nome Waterbumps, mas bem que podia ser o seu nome. As Hi-Dro Cushion Cells, pára-choques com água, antecederam os Airbumps em meio século.

Há uns anos atrás quando a Citroën lançou o C4 Cactus muitos ficaram espantados pela presença dos Airbumps — que infelizmente perderam-se no restyling… —, umas bolsas de ar colocadas ao longo dos painéis da carroçaria que visavam amortecer os pequenos impactos do dia-a-dia.

O que a maioria de nós não sabia é que já alguém tinha tentado amortecer os choques diários, não com ar, mas sim com água — daí os Waterbumps…

Ou seja, muito antes dos Airbumps serem uma realidade já alguém tinha criado as Hi-Dro Cushion Cells. Estas “almofadas” cheias de água criadas algures entre os anos 60 e 70 do século passado (não temos datas exatas mas tendo em conta os modelos usados nos anúncios apontamos para essa época) foram fruto do engenho do seu criador, John Rich.

VÊ TAMBÉM: Para que servem as marcas vermelhas no velocímetro?

Sempre que uma manobra de marcha-atrás não corria tão bem ou ocorria um choque a baixa velocidade lá estavam estas “almofadas” a “rebentar como um balão” de água e a evitar danos mais avultados nos pára-choques (que à época em que foram criadas eram ainda metálicos, não te esqueças).

Inestéticas mas eficazes

É verdade que a primeira impressão com que ficamos ao olhar para esta solução é negativa. Afinal de contas é a mesma coisa que viajar com garrafas de água amarrados ao pára-choques, mas diz quem as usou que afinal de contas as Hi-Dro Cushion Cells até cumpriam a sua função.

Entre os utilizadores destas “almofadas” estavam cerca de 100 frotas de táxis desde Nova Iorque até São Francisco. Com o uso deste sistema os estudos feitos à época revelaram que os custos de reparação foram reduzidos em cerca de 56%, assim como o tempo de inatividade dos carros (50%) devido a acidentes e as lesões causadas por pequenos acidentes.

VÊ TAMBÉM: Ford e Volkswagen. Possível fusão no horizonte?

Como funcionavam?

O segredo desta solução era que a água dentro da “almofada” de borracha fazia o mesmo que o conjunto amortecedor mola, amortecendo o impacto e absorvendo a energia cinética que dele resulta. Assim, em vez de ser o pára-choques a ter de lidar diretamente com o choque eram as Hi-Dro Cushion Cells, que depois podiam voltar a ser usadas, bastando para tal reenchê-las.

É verdade que os pára-choques atuais são muito melhores do que os de há 50 anos, mas não é menos verdade que um sistema como as Hi-Dro Cushion Cells seria bem vindo para evitar aqueles riscos irritantes que alguns de nós conseguem acumular nos pára-choques por causa de toques no estacionamento. Será que está aqui uma solução do passado que ainda tem futuro? No vídeo podes ver as Hi-Dro Cushion Cells em funcionamento…

Fonte: Jalopnik

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a contar com um motor Diesel com tecnologia common rail?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos