Curiosidade

Fomos enganados. Afinal BB em Ferrari 365 GT4 BB não significa Berlinetta Boxer

O Ferrari 365 GT4 Berlinetta Boxer é um dos mais famosos modelos da casa de Maranello, mas ainda assim há segredos que só agora se conhecem. Como a origem do seu nome.

Lançado em 1971 no Salão de Turim (onde mais poderia ser?) o Ferrari 365 GT4 Berlinetta Boxer foi como uma pedrada no charco. Afinal de contas, o modelo que é tido por muitos como um dos mais belos Ferrari de sempre, foi o primeiro modelo de estrada de Maranello a contar com um motor de 12 cilindros em posição central traseira…

Já ouço as vozes ao fundo a gritar o nome Dino, mas apesar da posição central traseira do seu motor, não era um 12 cilindros nem nasceu como Ferrari. Ganharia esse título décadas mais tarde.

Apesar do caráter revolucionário deste Ferrari, o seu nome, no entanto, não fazia sentido. É que apesar de ser designado Berlinetta Boxer (ou BB) este não era nem uma coisa nem outra.

VÊ TAMBÉM: Porque é que a Ferrari e a Porsche têm um cavalo rampante no logótipo?
Ferrari 365 GT4 Berlinetta Boxer

Como não?

Primeiro, como contava com motor central traseiro não era, de acordo com os padrões da marca, uma Berlinetta (termo usado apenas em modelos com motor em posição dianteira); e segundo, apesar de ter cilindros opostos o motor usado neste Ferrari não era um Boxer, mas sim um V12 a 180º — sim, existem diferenças…

Porquê, então, chamar-lhe Berlinetta Boxer ou simplesmente BB?

Uma homenagem “clandestina”

Pelos vistos, o significado das letras BB não podia ser mais diferente do que aquele conhecido até agora, e envolve uma… mulher. BB era uma homenagem a um ícone feminino da época em que este carro viu a luz do dia: a atriz francesa Brigitte Bardot.

Se não sabes quem foi a Brigitte Bardot não te preocupes, nós explicamos. Durante as décadas de 50, 60 e 70 do século passado, a francesa nascida em 1934 foi um dos maiores sex-symbol para toda uma geração, tendo-se tornado na crush de muitos jovens rapazes dessa época, entre os quais, como não podia deixar de ser, designers da Ferrari.

Leonardo Fioravanti, na altura um designer da Pininfarina, autor de clássicos da marca do cavalino rampante como o Ferrari Daytona ou o 250 LM, em declarações à revista inglesa The Road Rat, contou como o 365 GT4 BB acabou por conter uma discreta homenagem à icónica atriz francesa.

VÊ TAMBÉM: 10 celebridades de quatro rodas

A história por detrás do nome

Tudo começou quando a equipa viu chegar o primeiro protótipo à escala real. Nesse momento pensaram “Wow…é muito bom. É muito bonito! Muito… torneado”, Como refere Fioravanti, a associação das curvas do protótipo a Brigitte Bardot foi imediata e consensual.

A partir daí e até ao lançamento o carro ficou conhecido internamente como BB, ou Brigitte Bardot. No entanto, quando chegou a altura de o comercializar, não podiam dar o nome da atriz ao carro, e como nos conta Fioravanti, “um génio na Ferrari inventou “Berlinetta Boxer”. É bom, mas está errado, porque Berlinetta significa motor dianteiro. E Boxer? Não é um Boxer, é um flat 12″, e foi assim que o Ferrari passou a ser 365 GT4 Berlinetta Boxer, em vez de Brigitte Bardot.

Leonardo Fioravanti ao lado do Ferrari 365 GT BB e Ferrari P6
Leonardo Fioravanti ao lado do Ferrari 365 GT4 BB e Ferrari P6

As letras BB continuariam a ser usadas no sucessor do 365 GT4, os BB 512 e BB 512i, só desaparecendo com o Testarossa de 1984.

Curiosamente, Fioravanti admitiu que para cada carro que desenhou teve uma musa feminina como inspiração, mas o designer, hoje com 80 anos, não revelou quais os carros, afirmando “Que carros? Que nomes? Esse é o meu segredo”. Será que há outras homenagens entre os nomes dos carros de Maranello?

Fontes: The Road Rat e Road & Track.

 

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos