Arranque a Frio

Tesla Model S. O “carro de perseguição” do avião-espião U-2

Numa base aérea da Força Aérea dos EUA situada no Reino Unido, foram vistos Tesla Model S a acompanhar a descolagem do avião-espião U-2. Porquê?

Para percebermos o que faz um Tesla Model S P100D acompanhar o U-2 na sua descolagem e aterragem, temos de compreender o design deste avião. Concebido perto do final da década de 50 durante a Guerra Fria, como avião espião, tirando fotografias a grande altitude — 70 mil pés, pouco mais de 21,3 km —, todo o seu design era justificado nesse sentido. Pelo que, a baixa altitude não era, e não é um avião fácil.

Com uma envergadura e raio de viragem enorme, um trem de aterragem peculiar, e comandos não assistidos, as descolagens e aterragens são particularmente sensíveis. Para as tornar mais seguras, a Força Aérea começou a usar carros de apoio a essas manobras, recorrendo a muscle cars, pois eram os únicos a ter a performance para acompanhá-lo.

Estes “carros de perseguição” transportavam outro piloto de U-2, comunicando via rádio com o piloto do avião para eventuais alertas, e informações como altitude e ângulos, velocidade, entre outros.

Bem vindos ao séc. XXI, onde o U-2 ainda presta serviço, e o muscle car foi trocado por um novo monstro de performance, o Tesla Model S P100D. A sua capacidade de aceleração brutal torna-o o companheiro ideal para acompanhar o U-2 até à sua velocidade de descolagem de 185 km/h. O carro certo para o trabalho certo.

RELACIONADO: Conduzimos o Tesla Model S P100D. Que tiro foi esse?

Sobre o “Arranque a Frio”. De segunda a sexta-feira na Razão Automóvel, há um “Arranque a Frio” às 9h00 da manhã. Enquanto bebes o teu café ou ganhas coragem para começar o dia, fica a par de curiosidades, factos históricos e vídeos relevantes do mundo automóvel. Tudo em menos de 200 palavras.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos