Arranque a Frio

Bem-vindo ao Salão de Paris… de 1955

Ok, estamos em 2018, mas aproveitámos a abertura do Salão de Paris para recordar um dos automóveis mais fascinantes de sempre apresentados na cidade luz.

Se pudéssemos voltar atrás no tempo e escolher um momento nos inúmeros momentos dos 120 anos de história do Salão de Paris, este seria definitivamente a nossa escolha.

Tal como no Regresso ao Futuro, voltaríamos a 1955 para assistir, ao vivo e a cores, ao revelar do então novo Citroën DS em Paris. Porquê o DS?

Porque foi, provavelmente, a proverbial e maior “pedrada no charco” de sempre. Não era um protótipo, mas um carro de produção. As suas linhas invulgares chocavam desconfortavelmente com todo o restante panorama automóvel. Era bizarro, era futurista, era único… Nunca nenhum carro pareceu avançar tanto a indústria automóvel numa nova direção (em relação à sua época) a tantos níveis em simultâneo — design, materiais, tecnologia — como o Citroën DS.

ESPECIAL: Todas as novidades do Salão de Paris 2018

O impacto do Citroën DS foi massivo — em 15 minutos de exposição no Salão de Paris 743 pessoas encomendaram um; no final dos 10 dias do Salão, esse número já ascendia a 80 mil. Um número fantástico numa era onde a internet era ficção científica; e que só seria batido, 60 anos mais tarde, pelo Tesla Model 3.

Citroën DS, 1955

Sobre o “Arranque a Frio”. De segunda a sexta-feira na Razão Automóvel, há um “Arranque a Frio” às 9h00 da manhã. Enquanto bebes o teu café ou ganhas coragem para começar o dia, fica a par de curiosidades, factos históricos e vídeos relevantes do mundo automóvel. Tudo em menos de 200 palavras.</small

Sabes responder a esta?
Qual o modelo 100% novo que a DS leva ao Salão de Paris em 2018?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

DS 3 Crossback revelado. Vai ter versão 100% elétrica

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos