Apresentação

Peugeot aposta nos híbridos plug-in com novos 508 HYBRID e 3008 GT HYBRID4

Os Peugeot 508, 508 SW e 3008 vão ganhar versões HYBRID. Realce para o 3008 GT HYBRID4, com 300 cv e tração às quatro — o mais potente Peugeot de estrada de sempre.

Depois de ter abandonado os híbridos Diesel, a Peugeot volta à… carga, desta vez com uma nova geração de híbridos plug-in, só que associados a motores a gasolina.

Peugeot 508 (com comercialização a iniciar-se em Portugal em outubro), 508 SW e 3008 ganham versões HYBRID, menos poluentes — anunciam apenas 49 g/km de emissões CO2

No caso do SUV 3008, receberá uma uma segunda variante híbrida, denominada HYBRID4, sinónimo de quatro rodas motrizes, onde um motor elétrico adicional é instalado no eixo traseiro.

RELACIONADO: Futuro elétrico e autónomo na Peugeot é um 504 Coupé retro-futurista

Peugeot 508 508SW HYBRID 3008 HYBRID4 2018

Cinco modos de condução
Entre as várias tecnologias disponíveis nos novos 508 HYBRID e 3008 HYBRID4, um sistema com até cinco modos de condução: ZERO EMISSION, sinónimo de utilização 100% elétrica; SPORT, maior performance recorrendo permanentemente a ambos os sistemas de propulsão; HYBRID, para uma maior versatilidade; COMFORT, que, presente apenas no Peugeot 508 HYBRID, combina o modo HYBRID com o modo mais confortável da suspensão controlada eletronicamente; e, finalmente, o modo 4WD, disponível apenas no 3008 HYBRID4, que garante tração integral permanente.

Peugeot 3008 GT HYBRID4 com 300 cv

Ao anunciar 300 cv de potência máxima, o Peugeot 3008 GT HYBRID4, torna-se, assim, no Peugeot de estrada mais potente de sempre. Nesta configuração, o bloco a gasolina 1.6 PureTech debita 200 cv, ao qual se juntam dois motores elétricos com 110 cv cada. Um deles, posicionado no eixo traseiro (de braços múltiplos), acompanhado por um inversor e um redutor, garantindo a tração às quatro rodas.

A potência total combinada dos três motores é de 300 cv de potência, assegurando uma capacidade de aceleração dos 0 aos 100 km/h em 6,5s, além de uma autonomia em modo 100% elétrico de cerca de 50 km (WLTP), conseguido a partir de um pack de baterias de iões de lítio de 13,2 kWh, localizado por baixo dos bancos traseiros.

HYBRID, menos cavalos e duas rodas motrizes

Já quanto ao HYBRID, disponível não só no 3008, como no 508 berlina e carrinha (SW), anuncia uma potência combinada de 225 cv, resultado dos 180 cv do 1.6 PureTech e dos 110 cv oriundos de apenas um motor elétrico.

Com tração apenas dianteira, estas versões HYBRID contam com um pack de baterias ligeiramente mais pequeno, de 11,8 kWh, o qual garante, no caso do 508, uma autonomia elétrica de 40 km — e que, tal como no HYBRID4, pode ser utilizada a velocidades até 135 km/h. 

Transmissão específica

Tanto os HYBRID como o HYBRID4, vêm com uma nova transmissão automática de oito velocidades específica para versões híbridas, denominada e-EAT8, ou Electric Efficient Automatic Transmission – 8 Speeds.

A diferença da e-EAT8 para a EAT8 que já conhecemos, reside na substituição do conversor de binário por uma embraiagem multidiscos em banho de óleo, de modo a assegurar transições mais suaves entre o funcionamento elétrico e térmico; modificações que garantem mais 60 Nm de binário, para maior reatividade.

Carregamentos

No que concerne aos carregamentos das baterias, tanto o 508, como o 3008, poderão recarregar os respetivos packs através de uma tomada doméstica de 3,3 kW de 8 A (amperes) ou tomada reforçada de 3,3 kW e 14 A, num período de tempo que varia entre as oito e as quatro horas, respetivamente.

Opcionalmente, os clientes poderão também instalar uma Wallbox de 6,6 kW e 32 A, a qual consegue garantir um recarregar das baterias, em menos de duas horas.

RELACIONADO: PSA elege transmissões eletrificadas da Punch Powertrain para os seus semi-híbridos

Tecnologias

Como tecnologias mais destacadas nestas versões, a nova função Brake, que permite travar o carro sem tocar no pedal, funcionando como um travão-motor, e recarregando as baterias no processo.

Presente também está o novo sistema i-Booster, um sistema de travagem pilotada, que recupera a energia dissipada em travagem ou desacelerações, integrando uma bomba elétrica para o seu funcionamento, ao invés de uma bomba de vácuo presente nas versões térmicas..

Igualmente presente, a nova função e-SAVE, que permite guardar parte ou totalidade da capacidade das baterias — pode ser para apenas 10 ou 20 km, ou então a autonomia total —, para utilizar mais tarde.

Finalmente, as diferenças para as versões com apenas motor térmico podem ser observadas também no painel de instrumentos Peugeot i-Cockpit, onde o manómetro da direita, tradicionalmente empregue para o conta-rotações, passa a ser ocupado por um manómetro específico, com três zonas bem demarcadas: ECO, a fase em que a condução é mais eficaz em termos energéticos; POWER, altura em que a condução consegue ser mais dinâmica e enérgica; e CHARGE, a fase em que a energia dissipada na desaceleração e travagem, é reaproveitada para carregar a bateria.

Disponível em 2019

Apesar de já desvendado, a verdade é que, tanto o novo Peugeot 508 HYBRID, como o 3008 HYBRID4, só deverão ficar disponíveis daqui a um ano, no outono de 2019. Quanto a preços, só deverão ser conhecidos mais perto do lançamento.

Os Peugeot 3008 GT HYBRID4, 3008 HYBRID, 508 HYBRID e 508 SW HYBRID serão apresentados ao público durante a próxima semana, no Salão de Paris.

Subscreve o nosso canal de Youtube.

Sabes responder a esta?
Qual é a plataforma que serve de base ao novo Audi Q8?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Audi Q8. O rival do X6 e GLE Coupé já chegou a Portugal

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos