Leilão

O primeiro Ford Sierra Cosworth RS500 de sempre vai a leilão

O Ford Sierra Cosworth RS500 é um "Cossie" elevado ao quadrado. Como se apenas 500 produzidos não o tornassem raro o suficiente, agora o primeiro de todos a ser construído vai a leilão.

A existência do Ford Sierra Cosworth deve-se essencialmente a duas razões. A Ford Motorsport na Europa necessitava de voltar a ser competitiva nos circuitos e o Ford Sierra — uma berlina, antecessora do Mondeo, de desenho futurista e aerodinâmico, mas nada consensual  — precisava de ver a sua carreira reanimada após alguns desapontantes números de vendas.

A base em si era adequada ao objetivo proposto. O Ford Sierra apresentava baixos valores de resistência aerodinâmica — mas também alguns problemas de sustentação positiva —, tinha tração traseira e estava disponível com uma carroçaria de três portas.

A questão aerodinâmica foi rapidamente resolvida com o desenvolvimento de um kit em túnel de vento — ganhando uma nada consensual e enorme asa traseira, conhecida como whale tail (cauda de baleia). Era a única forma de garantir que o Sierra se mantinha colado ao asfalto a velocidades de 300 km/h.

Magia Cosworth

Para motorizar a nova máquina a escolha recairia sobre o bloco T88 — conhecido como o bloco Pinto, motorizando o modelo homónimo. Uma das variantes deste bloco, com 2.0 l de capacidade, receberia a atenção da Cosworth. Com o nome de código YAA, receberia uma cabeça totalmente nova, em alumínio, com duas árvores de cames e 16 válvulas (quatro por cilindro). A Ford teve conhecimento deste desenvolvimento, e viu neste bloco a base perfeita para a sua nova máquina.

Mas mais potência era necessária e só um Turbo garantiria os números necessários — 300 cv em competição —, pelo que a Ford requeriu uma variante sobrealimentada do mesmo (YBD), a qual a Cosworth acedeu. Mas a Cosworth impôs condições, entre as quais, a encomenda de 15 000 destes motores, as quais a Ford aceitou.

Ford Sierra Cosworth RS500

Na realidade, para efeitos de homologação, a Ford teria de produzir “apenas” 5000 Sierra Cosworth — uma preocupação em si, dado que as estimativas iniciais, após uma abordagem aos distribuidores, apontavam para vendas a rondar as 1500 unidades. A história demonstraria que os receios eram infundados. O Ford Sierra Cosworth de três portas vendeu 5545 unidades — incluíndo 500 unidades do RS500. 

A encomenda de tantos motores é, aliás, uma das justificações para o desenvolvimento posterior de uma segunda geração do Ford Sierra Cosworth — com quatro portas e tração às quatro — que faria carreira no mundial de ralis.

Nasce o RS500

O Ford Sierra Cosworth chegaria ao mercado apenas em 1986, dominando, como se pretendia, os circuitos em múltiplos campeonatos de turismo. Mas não se ficaria por aqui — os objetivos da Ford iam mais longe. A FIA permitia a homologação de versões “Evolution”, com a produção de 500 unidades do modelo de estrada, dando oportunidade de ir mais longe nas especificações do modelo.

Ford Sierra Cosworth RS500

Surge, assim, o Ford Sierra Cosworth RS500. A conversão para esta variante ficaria a cargo da Aston Martin Tickford — a marca britânica, na altura, era a proprietária da Tickford. As alterações efetuadas ao “Cossie” acabariam por ser mais extensas do que se imaginaria.

O bloco do motor era mais espesso para incrementar a sua resistência, a potência subia dos 205 para os 225 cv — em competição podia chegar aos 400 cv —, recebendo um novo turbo Garret T04, um maior intercooler e novos sistemas de indução e injeção.

Aerodinamicamente era revisto com um novo spoiler frontal e traseiro, posicionado por baixo da asa traseira — que também ganharia um “lábio” maior para incrementar o downforce —, e ganhava novas aberturas de ar, maiores, para os travões e intercooler.

O RS500 começou a ser vendido a 1 de agosto de 1987, e todos eles tinham volante à direita — o Reino Unido era o maior mercado para este tipo de máquinas.

O primeiro de todos

Este exemplar em particular, que vai a leilão, é sem dúvida o mais especial dos Ford Sierra Cosworth RS500, já que foi o primeiro a ser produzido, o chassis número 1. É definido como um modelo de pré-produção e é o único a ser construído pela Ford — foram construídos quatro protótipos para desenvolvimento, mas apenas este foi da autoria da Ford.

Dado o reduzido número de unidades produzidas, até este pré-série foi vendido a um cliente como de um “normal” RS500 se tratasse.

Esta unidade está de regresso ao Reino Unido e permanece praticamente original. O sistema de escape é agora em aço inoxidável, da Magnex, e o tablier teve de ser substituído por outro — eram comuns problemas de fraturas e contração nos primeiros tabliers.

A documentação desta unidade é bastante completa: existem diversos relatórios de inspeções antigas e até dos “selos”. Aparentemente sofreu um acidente em 1988, mas esse registo foi posteriormente removido do seu Registo de Condição.

Ford Sierra Cosworth RS500

Para quem adquirir o primeiro RS500 de sempre, receberá um relatório de inspeção ao carro efetuado por especialistas, sobre a história e estado do carro. 

A Silverstone Auctions, que organiza o leilão, estima um valor de aquisição para o primeiro Ford Sierra Cosworth RS500 entre as 90 mil e 120 mil libras (103 mil e aproximadamente 137 500 euros, respetivamente). O leilão terá lugar a 19 de maio, com a possibilidade de ver todos os lotes a 18 de maio.

Ford Sierra Cosworth RS500
A “mãe” de todas as asas! Estão a ver onde o Escort RS Cosworth foi buscar inspiração para a sua asa?

Sabes responder a esta?
Qual a potência do Ford Focus RS Heritage Edition?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Ford Focus RS. O adeus com edição especial de 375 cv, mas só no Reino Unido

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos