Glórias do Passado

Lembras-te deste? Volkswagen Lupo GTI

Com a chegada do Volkswagen Up GTI iminente, é a altura ideal para recordar o seu antecessor, o "pocket-rocket" Volkswagen Lupo GTI.

Quando foi lançado, no ano 2000, o Volkswagen Lupo GTI foi rapidamente aclamado como o sucessor espiritual do primeiro Golf GTI, lançado em 1976. E não era difícil perceber porquê… tal como este, o Lupo GTI era pequeno, leve e trazia um quatro cilindros em linha com 1600 cm3, exatamente a mesma capacidade do primeiro Golf GTI.

Os números refletiam essa aproximação. O motor 1.6 litros, que equipava o esquecido e contemporâneo Polo GTI, debitava 125 cv às 6500 rpm e 152 Nm às 3000 rpm — mais 15 cv e 12 Nm que o primeiro Golf GTI. Números que compensavam o aumento de peso do Lupo face ao Golf — 975 kg vs 810 kg —,  permitindo melhores prestações. Até agora, música para os nossos ouvidos…

Os 100 km/h no Volkswagen Lupo GTI eram cumpridos em 8,2s (-0,9s) e a velocidade máxima atingia os 205 km/h (+23 km/h). Números perfeitamente enquadrados com máquinas contemporâneas, tais como o Peugeot 106 GTI.

Guerra ao peso

Sendo de concepção mais moderna, o peso a mais era perfeitamente justificado pela superior integridade estrutural e mais equipamentos de segurança e conforto. No entanto, não impediu a marca alemã de tomar medidas para manter o peso em níveis razoáveis. De que forma? O alumínio foi usado para o capot, portas e guarda-lamas.

Tanto empenho Volkswagen… gostamos disso.

Esta aposta no peso reduzido, não deixava de ser um delicioso contraste com a realidade na indústria. Foi neste período que os carros começaram a crescer desmesuradamente e a ganhar peso mais depressa do que nós entre o Natal e o Ano Novo.

Vestido a rigor

O estilo característico do Lupo era enriquecido com uma camada de intenções desportivas: vias mais largas e rodas de 15″ enchiam de forma mais convincente os guarda-lamas alargados; o para-choques dianteiro, totalmente colorido, integrava três entradas de ar bem definidas; e na traseira a adição de uma dupla saída de escape central por si só era motivo para ganhar uma série de fãs.

Volkswagen Lupo GTI

A distância ao solo reduzida em 20 mm e um novo spoiler traseiro — algo subtil para os dias de hoje — completavam uma excelente adaptação visual do Lupo aos seus propósitos mais desportivos. Compare-se com a complexa e tortuosa realidade contemporânea, onde até modelos sem pretensões desportivas são visualmente muito mais agressivos…

Eficaz, mas cativante

Os 20 mm a menos na distância ao solo mencionados eram reflexo de amortecedores e molas específicas, que em muito contribuíram para a boa reputação dinâmica do modelo. O Volkswagen Lupo GTI era uma máquina rápida e eficaz, mas ao mesmo tempo entusiasmante de conduzir.

Já estou com vontade de ir procurar um num site de classificados…

Ficou ainda mais entusiasmante, quando dois anos após ter sido lançado, a transmissão manual de cinco velocidades foi substituída por uma de seis. Alteração que, fruto das relações próximas,  permitia mais facilmente manter o motor no seu regime ideal — motor com excelentes regimes médios e altos —, “puxando” pelo nosso pé direito.

O termo “pocket rocket” (pequeno foguete) não podia encontrar um melhor cúmplice do que o Volkswagen Lupo GTI.

Volkswagen Lupo GTI

Sobre o “Lembras-te deste?”. É a rubrica da Razão Automóvel dedicada a modelos e versões que de alguma forma se destacaram. Gostamos de recordar as máquinas que outrora nos fizeram sonhar. Embarca connosco nesta viagem no tempo, semanalmente aqui na Razão Automóvel.

Sabes responder a esta?
O novo Volkswagen Touareg partilha plataforma com qual destes modelos?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Este é o novo Volkswagen Touareg. Revolução total (por dentro e por fora)

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos