Antevisão

Audi R8. Cada vez mais certo que não terá sucessor

Após rumores de que o atual Audi R8 seria o último, agora é praticamente certo de que não haverá um sucessor para o desportivo alemão.

O atual Audi R8, lançado em 2015, ainda tem bastantes anos de vida pela frente — é esperado um restyling que deverá trazer como novidade um V6 Turbo como motorização de acesso, para complementar o par de V10 existentes. No entanto, após este, não deverá haver mais Audi R8.

É o que podemos depreender das declarações de Peter Mertens, diretor de pesquisa e desenvolvimento da marca, em declarações à Car and Driver, durante o Salão de Genebra.

Mertens refere que o Audi R8 “tem uma longa vida (pela frente) e está a comportar-se bem”. Mas ele próprio afirma que não há planos para o substituir, ressalvando, no entanto, que “nunca digam nunca; carros de performance são muito bons para a Audi”.

Audi R8

É compreensível. O dinheiro necessário para investir numa nova geração de modelos nunca implicou tanta dispersão como agora. Não só têm de continuar a investir em automóveis convencionais, equipados com motor de combustão interna, como uma nova geração de modelos híbridos plug-in e elétricos requerem fundos avultados.

Novo V6 pouco efeito terá no seu destino

O Audi R8, apesar de ser considerado, de forma unânime, uma máquina excelente a todos os níveis, sempre teve um problema de imagem, quando colocado lado a lado com os seus rivais mais estabelecidos. Isto apesar de partilhar bastantes componentes com o “irmão” Lamborghini Huracán — chão da plataforma, antepara traseira, o V10 e transmissão —, o que poderia melhorar a percepção que os potenciais clientes têm do modelo.

A chegada do V6 garantirá um preço de acesso inferior, que não terá paralelo na Lamborghini, mas pouco fará para mudar o destino do R8. E, para mais, a própria Audi tem no TT RS um modelo de prestações aproximadas às do R8 V6, graças ao cinco cilindros em linha turbo e 400 cv.

Alta performance é para continuar na marca

Aos aficionados da performance e mesmo sem R8, Mertens garante que continuaremos a ver versões de elevadas prestações de todos os modelos da marca, independentemente do tipo de motorização.

Os três conceitos têm futuro. Haverá veículos de alta performance com o muito tradicional motor de combustão, puros elétricos (com baterias) e a nossa marca irmã Porsche já demonstrou com os seus híbridos plug-in que a combinação dos dois (combustão e elétrico) é, igualmente, uma resposta fantástica.

RELACIONADO: O dia em que a Audi fez um superdesportivo Diesel

 

Sabes responder a esta?
Que outro modelo deriva da base do Audi R8 e do Lamborghini Huracán?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos