Salão de Genebra 2018

Mercedes-Benz aposta em versão híbrida plug-in… Diesel

A nova tecnologia híbrida plug-in Diesel será estreada no novo Mercedes-Benz Classe C, ainda durante este ano, mas deverá estender-se a mais modelos do construtor.

Depois das recentes notícias de que o ano de 2017 foi negro para os motores Diesel, e até de que algumas marcas acabaram a produção e venda de motorizações a gasóleo, a Mercedes-Benz rema no sentido oposto, acreditando ainda nas mais valias do Diesel, e até, nos híbridos com motores de combustão a gasóleo.

As variantes “h” dos modelos Classe C e Classe E, estão associadas ao bloco 2.1 Diesel, no entanto os modelos Plug-in como o Mercedes-Benz Classe C350e, contam com um motor 2.0 a gasolina, com uma potência combinada de 279 cv, e um binário máximo de 600 Nm, com consumo certificados de apenas 2.1 litros.

O modelo C350e tem um bloco 2.0 a gasolina.

Agora, a marca anuncia que pretende lançar o seu primeiro modelo híbrido Plug-in Diesel, provando que é a marca que mais aposta nos Diesel híbridos atualmente, conforme já tínhamos referido no artigo sobre o motivo de não haver mais híbridos Diesel.

A Mercedes-Benz sempre defendeu os híbridos Diesel, e agora vem comprovar a sua viabilidade com uma versão plug-in

Será já no próximo Salão de Genebra que conheceremos esta nova variante do Classe C. Baseado no bloco OM 654 de quatro cilindros e 2.0 litros — construído para substituir o 2.1 litros que esteve no mercado durante vários anos — e que é um dos motores mais eficientes da sua categoria.

Mercedes-Benz
Bloco OM654 da Mercedes-Benz

O novo bloco foi desenvolvido a pensar nas mais exigentes normas anti-poluição, cumprindo assim todos os exigentes requisitos. Por outro lado, há que aproveitar de todas as formas os avultados custos de desenvolvimento deste novo bloco, e aplicar-lhe uma solução híbrida plug-in é uma das melhores formas de rentabilizar o investimento.

RELACIONADO: Em dois dias conduzimos (quase) todos os Mercedes-Benz Classe E

Foi já em 2016 que o grupo Damiler anunciou o investimento de três mil milhões de euros para adaptar as motorizações Diesel à nova norma europeia, que exige um mínimo de 95g de emissões de CO2, já para 2021

A tecnologia

A tecnologia usada na nova versão é muito idêntica aquela que já é usada pela marca nos modelos híbridos plug-in a gasolina. A autonomia em modo 100% elétrico será de aproximadamente 50 quilómetros. O propulsor elétrico, está integrado na caixa de velocidades automática e é alimentado por baterias de iões de lítio que podem ser carregadas numa tomada doméstica, ou numa Wallbox.

O novo modelo híbrido diesel será um forte concorrente a outras propostas híbridas no mercado, nomeadamente pelas duas reduzidas emissões de CO2, bem como consumos, naturalmente inferiores à tecnologia híbrida a gasolina.

É previsível que esta tecnologia chegue rapidamente a outros modelos da gama do construtor, como o Mercedes-Benz Classe E e os o Mercedes-Benz GLC e GLE.

Fica ainda por saber não só a potência combinada deste novo híbrido diesel como também se a marca manterá as versões híbridas plug-in a gasolina, ou se as substituirá definitivamente por esta nova tecnologia.

Sabes responder a esta?
Qual o nome do novo sistema de infoentrenimento da Mercedes-Benz, estreado no novo Classe A?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Este é o novo Mercedes-Benz Classe A. Tudo o que precisas de saber

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos