Marco histórico

Como é que a Toyota chegou a Portugal?

Faz hoje precisamente 50 anos que Salvador Fernandes Caetano, um dos mais influentes empresários portugueses, firmou o contrato de representação da Toyota em Portugal. Uma breve introdução à história da marca japonesa em Portugal.

Estávamos em 1968. Salvador Fernandes Caetano, fundador da Salvador Caetano – Indústrias Metalúrgicas e Veículos de Transporte SARL, era o maior fabricante de carroçarias de autocarros do país.

Um trajeto que começou a trilhar com apenas 20 anos de idade, e que em menos de 10 anos o levou à liderança do setor em Portugal.

Salvador Fernandes Caetano
Salvador Fernandes Caetano (2 de Abril de 1926/27 de Junho de 2011).

Foi a Salvador Caetano I.M.V.T que introduziu em Portugal, no ano de 1955, a técnica de construção de carroçarias integralmente em metal — antecipando-se a toda a concorrência, que continuava a recorrer à madeira enquanto principal matéria-prima. Mas para este homem de origens humildes, que começou a trabalhar aos 11 anos de idade na construção civil, a indústria das carroçarias não era suficiente.

A sua “missão de empresário” obrigava-o a ir mais longe:

Não obstante dos sucessos alcançados na indústria e carroçarias para autocarros [...], tinha a noção precisa e absoluta da necessidade de diversificação da nossa atividade.

Salvador Fernandes Caetano

A dimensão industrial e prestígio que entretanto a empresa Salvador Caetano tinha alcançado, o número de pessoas que empregava e a responsabilidade que daí adivinha, ocupavam a mente do seu fundador “dia e noite”.

Salvador Fernandes Caetano, não queria que a sazonalidade e o ambiente altamente concorrencial da indústria das carroçarias colocasse em causa o crescimento da empresa e o futuro das famílias que dela dependiam. Foi então que a entrada no setor automóvel surgiu como uma das possibilidades de diversificação da atividade da empresa.

A entrada da Toyota em Portugal

Em 1968 a Toyota, à semelhança de todas as marcas de automóveis japonesas, era praticamente desconhecida na Europa. No nosso país, eram as marcas italianas e alemãs que dominavam o mercado, e a maioria das opiniões eram bastante pessimistas relativamente ao futuro das marcas japonesas.

Toyota Portugal
O Toyota Corolla (KE10) foi o primeiro modelo importado para Portugal.

A opinião de Salvador Fernandes Caetano era distinta. E perante a impossibilidade da empresa Baptista Russo — com quem tinha uma ótima relação — de acumular a importação de modelos Toyota com outras marcas (BMW e MAN), a Salvador Caetano avançou (com o apoio da Baptista Russo) para a tentativa de conseguir o contrato de importação da Toyota para Portugal.

Iniciámos as conversações com a Toyota — que não foram nada fáceis — mas, no fim, acabaram por concluir que éramos uma excelente aposta, dadas as nossas potencialidades [...].

Salvador Fernandes Caetano
Salvador Caetano Toyota Portugal
A 17 de fevereiro de 1968 era finalmente assinado o contrato de importação da Toyota para Portugal. Salvador Fernandes Caetano tinha conseguido alcançar o seu objetivo.

Depressa foram vendidas as primeiras 75 unidades dos Toyota Corolla (KE10) importadas para Portugal.

Apenas um ano depois, o otimismo relativamente ao futuro da marca Toyota estava bem patente na primeira campanha publicitária levada a cabo no nosso país, com o slogan: “Toyota veio para ficar!”.

50 anos Toyota Portugal
Momento da assinatura do contrato.

A Toyota, Portugal e a Europa

Volvidos apenas 5 anos desde o início da comercialização da Toyota em território luso, a 22 de março de 1971, foi inaugurada em Ovar a primeira fábrica da marca japonesa na Europa. Nessa altura o slogan “Toyota veio para ficar!” recebeu uma atualização: “A Toyota veio para ficar e ficou mesmo…”.

A abertura da fábrica em Ovar foi um marco histórico para a Toyota, não só em Portugal mas também na Europa. A marca outrora desconhecida na Europa, era das que mais crescia em todo o mundo e Portugal foi determinante para o sucesso da Toyota no «velho continente».

No período de nove meses conseguimos construir a maior e mais bem equipada fábrica de montagem do país, o que não só surpreendeu os japoneses da Toyota, mas também muitos dos nossos grandes e importantes competidores.

Salvador Fernandes Caetano

É importante referir que nem tudo foi um «mar de rosas». A abertura da fábrica da Toyota em Ovar foi, de resto, uma vitória da persistência de Salvador Fernandes Caetano contra uma das leis mais polémicas leis do Estado Novo: a Lei do Condicionamento Industrial.

Era esta lei que regulava as licenças industriais nas áreas consideradas vitais para a economia portuguesa. Uma lei que na prática existia para limitar a entrada de novas empresas no mercado, garantindo administrativamente o controlo do mercado pelas empresas já instaladas, com prejuízo da livre concorrência e da competitividade do país.

Foi esta lei que constituiu o maior obstáculo aos planos de Salvador Fernandes Caetano para a Toyota em Portugal.

Contra a Salvador Caetano estava na altura, o diretor geral da Indústria do Estado Novo, Engº Torres Campo. Só após longas e duras reuniões, é que o então Secretário de Estado da Indústria, Engº Rogério Martins, capitulou perante a persistência e dimensão das ambições de Salvador Fernandes Caetano para a Toyota em Portugal.

Desde então, a fábrica da Toyota em Ovar continua a sua atividade até aos dias de hoje. O modelo produzido durante mais tempo nesta fábrica foi a Dyna que em conjunto com a Hilux consolidaram a imagem de robustez e fiabilidade da marca em Portugal.

 

A Toyota em Portugal hoje

Uma das frases mais célebres de Salvador Fernandes Caetano é:

“Hoje como ontem, a nossa vocação continua a ser o Futuro.”

Um espírito que, de acordo com a marca, continua bem vivo na sua atividade em território nacional.

toyota corolla
A primeira e a mais recente geração do Corolla.

Entre outros marcos da história da Toyota em Portugal refira-se a chegada ao mercado nacional do primeiro híbrido de produção em série do mundo, o Toyota Prius, em 2000.

Em 2007 a Toyota voltou a ser pioneira com o lançamento do Prius, agora com carregamento externo: o Prius Plug-In (PHV).

A dimensão da Toyota em Portugal
Com uma rede de 26 concessionários, 46 showrooms, 57 oficinas de reparação e comercialização de peças, a Toyota/Salvador Caetano emprega aproximadamente 1500 pessoas em Portugal.

Outro marco no desenvolvimento de veículos eletrificados foi o lançamento do Toyota Mirai – o primeiro sedan a pilha de combustível de produção em série no mundo e que circulou pela primeira vez em Portugal em 2017 por altura de comemoração dos 20 anos da tecnologia híbrida.

No total, a Toyota já vendeu mais de 11,47 milhões de veículos eletrificados em todo o mundo. Em Portugal, a Toyota já vendeu mais de 618.000 automóveis e possui atualmente uma gama de 16 modelos, dos quais 8 modelos dispõem de tecnologia “Full Hybrid”.

50 anos toyota portugal
Imagem que a marca vai usar até ao final do ano para celebrar o acontecimento.

Em 2017, a marca Toyota encerrou o ano com uma quota de mercado de 3,9% correspondente a 10.397 unidades registando um aumento de 5,4% em relação ao ano anterior. Consolidando a sua posição de liderança na eletrificação automóvel alcançou em Portugal um aumento expressivo na venda de viaturas híbridas (3.797 unidades), com um crescimento de 74,5%, face ao ano 2016 (2.176 unidades).

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos