Arranque a Frio

Ainda sabes o significado da sigla FIRE?

Dedicamos o primeiro "Arranque a Frio" desta semana a uma sigla que é familiar a todos os amantes de automóveis nascidos no século passado.

FIRE, ou por extenso: Fully Integrated Robotised Engine. Foi a sigla que a Fiat usou para identificar a sua primeira família de motores construídos com recurso a uma linha de produção composta por robôs – daí o nome “Robotised Engine”.

Um avanço tecnológico significativo para a época. Estávamos em 1985 e a Fiat necessitava de substituir os “velhos” motores da série 100.

A primeira geração do motor FIRE tinha versões com cilindradas entre os 769 cm3  e os 1368 cm3, todos com 8 válvulas — duas válvulas por cilindro.

Na década de 80 e 90 era recorrente ver esta designação nos modelos da casa italiana. Nomeadamente no saudoso Fiat Uno ou Fiat Panda, modelos que foram o primeiro carro de muitos jovens.

Felizmente o motor FIRE, nas suas mais diversas versões aguentava tudo… ou quase tudo!

Apesar da denominação FIRE ter desaparecido das carroçarias dos modelos da casa italiana, o conceito continua bem vivo. Atualmente o expoente máximo destas motorizações é o motor 1.4 16v MultiAir Turbo.

Colocámos aqui o Turbo IE só porque achamos que carro está a envelhecer bem. Não concordas?

Sobre o “Arranque a Frio”. De segunda a sexta-feira na Razão Automóvel, há um “Arranque a Frio” às 9h00 da manhã. Enquanto bebes o teu café ou ganhas coragem para começar o dia, fica a par de curiosidades, factos históricos e vídeos relevantes do mundo automóvel em menos de 200 palavras.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos