Tata terá comprado 10% da empresa

Faraday Future, precisas de dinheiro? Pede à Tata!

Em dificuldades financeiras, a Faraday Future pode ter encontrado o financiador que tanto procurava — a indiana Tata, dona da Jaguar Land Rover.

Startup chinesa que se deu a conhecer ao mundo com a apresentação da berlina de luxo 100% elétrica FF 91, a Faraday Future (FF) pode ter encontrado, depois da crise financeira em que caiu a LeEco, um novo rei Midas — nada mais, nada menos, que o gigante indiano Tata, proprietário da Jaguar Land Rover.

Faraday Future FFZero1
Faraday Future FFZero1, o primeiro concept da marca.

A atravessar tempos difíceis, especialmente depois das dificuldades financeiras em que caiu o seu principal financiador, o gigante chinês da eletrónica LeEco, a Faraday Future (FF) tem vindo a lutar, nos últimos tempos, para, pelo menos, conseguir manter a cabeça à tona d’água.

Pressionada pelos credores e com uma fábrica por acabar, onde tem planeado construir o seu modelo de estreia, o FF 91, a Faraday necessita de fundos, como de pão para a boca — algo que a Tata parece estar disposta a garantir-lhe. Sendo que, em troca, poderá passar a ter acesso à tecnologia de ponta que a startup chinesa vinha a desenvolver com o apoio da LeEco.

Tata terá investido 771 milhões na Faraday

Segundo avança a britânica Autocar, com base numa notícia do portal chinês de notícias automóveis Gasgoo, a companhia chinesa tem, actualmente, um valor de mercado a rondar os 7,7 mil milhões de dólares, sendo que a Tata terá investido cerca de 771 milhões de euros na Faraday. Adquirindo, desta forma, cerca de 10% da startup de Hong-Kong — informação que ainda carece de confirmação oficial.

Faraday Future FF 91
Faraday Future FF 91

Para a FF, este poderá ser o balão de oxigénio que a empresa necessitava, para voltar a retomar o desafio da construção do seu primeiro carro, que a empresa chinesa sempre descreveu como um rival direto do Tesla Model S. Algo que, no entanto, só será possível com a finalização da fábrica que vinha a construir no estado do Texas, EUA, cuja construção parou, devido a dívidas ao empreiteiro.

Hoje em dia, já com duas importantes baixas na estrutura, resultado do abandono em outubro do diretor financeiro, Stefan Krause, assim como do fim do contrato com o responsável para a tecnologia, Ulrich Kranz, a Faraday Futures acredita, no entanto e ainda assim, poder levar avante o seu projecto de criação de um veículo de luxo totalmente elétrico, para lançamento no mercado em 2019.

FF 91 com autonomia anunciada de 700 quilómetros

O modelo, denominado FF 91, tem por base não apenas uma bateria de 130 kWh, mas também o já patenteado Echelon Inverter, um inversor de potência de última geração. Tecnologia que, garante a empresa, consegue acumular mais energia, em menos espaço físico.

Os responsáveis da Faraday revelaram já, igualmente, que FF 91 deverá ser capaz de garantir autonomias acima dos 700 quilómetros, segundo ciclo NEDC, ao mesmo tempo que, graças a um novo sistema de carregamento doméstico, deverá conseguir repor metade da capacidade da bateria, em não mais que 4,5 horas. Isto, desde que seja possível recarregá-lo a potências nas ordem dos 240 V.

Sabes responder a esta?
Onde é que vai ser revelada a nova arma da Citroën para o Mundial de Ralis, o novo Citroën C3 R5?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Citroën C3 R5 prestes a ser revelado no Rally do Var

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub