Desde 10 044 euros

Testei o novo Ford KA+ com a chave errada. Ou será a chave certa?

O novo Ford KA+ foi uma agradável surpresa. Isto apesar da marca me ter dado a chave errada... ou certa. Depende de quem usar o carro. O sistema chama-se MyKey.

Lembram-se do primeiro Ford Ka? Lançado em 1996, este modelo foi responsável por estrear a nova linguagem estilística da Ford, apelidada na altura de New Edge Design. Uma linguagem que vingou no Focus e num fantástico superdesportivo — que infelizmente não chegou às linhas de produção (nas imagens) — mas que de resto, não foi muito acarinhada nos restantes modelos da gama. Nem gosto de recordar o Cougar…

Volvidos 21 anos desde o lançamento do Ka original, este citadino chama-se agora Ford Ka+. Este “Ka+” é de «mais» maduro, «mais» espaço, «mais» equipado e «mais»… aborrecido.

Porquê aborrecido? Vamos começar pelo exterior

As linhas que outrora eram polémicas deram lugar a formas mais maduras. Formas que revelam preocupações que não existiam: espaço a bordo (cinco lugares) e capacidade de bagageira (240 litros). É possível acomodar quatro adultos (o quinto vai apertado…) com relativo conforto (não deixa de ser um citadino…) e até enfrenta uma estrada nacional com alguma naturalidade. O design efetivamente não é feliz mas também não compromete.

Deram-me a chave errada…

O Ford Ka+ tem alguns equipamentos de facto muito interessantes. Vou começar pelo sistema MyKey da Ford. Se estás a pensar oferecer um Ford KA+ ao teu filho/a as próximas linhas são para ti…

Há a chave principal e depois há a chave “Mykey”, que é em tudo igual à chave principal mas permite limitar alguns parâmetros do carro, nomeadamente a velocidade máxima autorizada, volume máximo do rádio e permissão para desligar o ESP.

A chave da discórdia. Ou não…

É nestas pequenas preocupações que se nota que o Ford KA+ está mais… aborrecido (leia-se responsável). Se nós quisermos ele comporta-se como uma espécie de «ama seca». Vai mais devagar, o volume do rádio está demasiado alto, não puxes o travão de mão…

Tudo coisas pouco recomendáveis que eu fiz ao volante do meu saudoso Citroën AX, quando ainda era um recém-encartado com demasiado ímpeto ao volante. Quando tiver um filho espero poder dar-lhe um carro com MyKey…

Felizmente a marca deu-me a chave apenas com limitações em termos de volume do rádio para demonstrar a utilização do sistema. Queria passar do volume 14 e não podia. Achei piada, confesso.

Ford Ka+
Também achei piada ao facto do Ford Ka+ não ligar o rádio enquanto não colocamos o cinto de segurança. Assim que colocamos o cinto, pumba! Temos rádio.

Sobre o motor do Ford KA+

Esta unidade estava equipada com a versão mais potente do motor 1.2 Duratec a gasolina, que traz consigo um sistema de abertura variável das válvulas. Debita 85 cv de potência, é despachado, silencioso e vem acoplado a uma caixa manual de cinco velocidades que só não permite andamentos mais vivos porque tem relações que favorecem os consumos. E ainda bem. Consegui fazer médias na casa dos 5,0 l/100 km sem chegar atrasado a lado nenhum.

É o mais barato dos Ford.

É uma unidade com muitos anos no ativo mas que ainda cumpre os propósitos de um modelo desta natureza. Claro que com cinco adultos lá dentro não haverá milagres…

Como é que se comporta o Ford KA+?

Comporta-se como é expectável. É previsível e não assusta nas situações de maior aperto. Em cidade é despachado e fácil de estacionar. Os sensores de estacionamento opcionais incomodam mais do que ajudam…

Ford Ka+
Não sendo um automóvel bonito também não assusta. Vicissitudes de um modelo global.

Ao nível da segurança o Ford KA+ conta com seis airbags de série e um Sistema de Monitorização da Pressão dos Pneus. Já a pensar na condução em meios urbanos, o Ford KA+ foi ainda equipado com um sistema de Direção Assistida Eletrónica sensível à velocidade que o torna mais fácil de manobrar.

Melhor por dentro que por fora

Por fora o design é incipiente, por dentro não sendo mais alegre é no entanto mais agradável. É espaçoso e não apresenta defeitos dignos de nota para um carro deste segmento e preço.

Por falar em preço…

Esta unidade, com praticamente todos os extras disponíveis na gama Ford Ka+ custa 12 480 euros (sem despesas de legalização e transporte). Mas tinha dois opcionais completamente dispensáveis se a vossa preocupação com o dinheiro falar mais alto: ar condicionado automático (305 euros) e Pack Conveniência (488 euros) que contempla sensores de estacionamento e vidros elétricos nas portas traseiras. Podem ver a lista completa aqui.

Resumindo

O novo Ford Ka+ não é de todo um modelo tão apaixonante (ou odiável…) como na primeira e na segunda geração, mas é mais «carro». Apresenta bons argumentos — alguns deles únicos como é o caso do MyKey — num segmento que não conhece grande sucesso em Portugal mas que tem propostas cada vez melhores.

O Ford Ka+ é um dos casos em que se pode dizer “a beleza está no interior”.

De memória lembro-me automaticamente do Hyundai i10 (muito espaçoso, bem equipado e com um design mais inspirado), o Opel Karl (muito próximo deste Ford em termos de conceito), Kia Picanto (dos mais giros) e os trigêmeos Citroën C1, Peugeot 108 e Toyota Aygo (que têm no motor japonês um excelente aliado).

Vale a pena darem uma volta nele antes de o afastarem por questões estéticas. Além do mais está em vigor uma campanha de desconto no valor de 750 euros. Caso optes pelo Financiamento Ford Crédito acresce o desconto de 1050 euros.

Preço

unidade ensaiada

12.471

Versão base: €10.100

Classificação Euro NCAP: 3

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros
    • Capacidade: 1.2 litros
    • Posição: transversal
    • Carregamento: Injeção ind.
    • Distribuição: 16V
    • Potência: 85 cv
    • Binário: 112Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: 5 Vel. Manual
  • Equipamento
    • ESP
    • ABS
    • Fecho centralizado
    • Rádio com ligação MP3/AUX.
    • Ar-condicionado
    • Cruise Control
    • Travagem automática
    Extras
    AC Automático, 4 vidros elétricos, roda suplente.
Avaliação
7 / 10
É um modelo alinhado pelas qualidades que hoje reconhecemos aos modelos do segmento A. É espaçoso, prático e bem equipado. Como segundo carro não compromete, como primeiro carro é uma excelente iniciação. O sistema MyKey é muito interessante e o motor 1.2 Duratech tem provas dadas de fiabilidade.
  • Motor disponível;
  • Interior espaçoso;
  • Relação preço/qualidade.
  • Design pouco inspirado;
  • Posição de condução;
  • Insonorização.

Mais artigos em Ensaio

Os mais vistos

Pub