Mercado

Quem está a comprar carros em Portugal? Empresas e PME cada vez mais

Se as empresas estão a garantir o sucesso do mercado automóvel em 2017, o interesse das PME pelo renting é cada vez maior.

No final dos primeiros nove meses de 2017, as tabelas elaboradas pela ACAP mostraram que as vendas de ligeiros (passageiros e comerciais) ficaram já muito perto das 200 mil, cerca de 15 mil unidades acima do que em idêntica contabilidade em relação a 2016.

Apesar do crescimento de 5,1% da venda de ligeiros ser mais moderado do que o verificado há um ano, este ritmo faz pressupor que, até ao final do ano, se possam ultrapassar as 270 mil unidades.

Não descurando o papel dos clientes particulares para a dimensão atual do mercado automóvel em Portugal, confirmado pelo aumento dos montantes de crédito e do número de contratos, às empresas continua a caber grande da responsabilidade pelo crescimento do registo de carros novos em Portugal.

Que empresas compram?

Desde logo, o sector do rent-a-car, bastante impulsionado pelo aumento do Turismo em Portugal. Com as suas especificidades no que concerne à aquisição de veículos, o rent-a-car mantém-se responsável por cerca de 20% a 25% do mercado de ligeiros.

Além de umas poucas multinacionais novas que entraram em Portugal e das grandes contas que se mantiveram, as compras por parte do restante tecido empresarial português estão bastante fragmentadas, como explica o diretor do departamento de vendas profissionais de uma das principais marcas automóveis em Portugal.

Depois de anos difíceis a reduzir frota (2012, 2013…), há muitas empresas a renovarem este ano e a negociarem o próximo, mas são poucas a acrescentar viaturas.

Numa atitude conservadora ou mais prudente, algumas organizações estão a optar por contratar serviços externos, em regime de outsourcing, para suprir os acréscimos de trabalho.

Esta contingência e ainda o resultado da aposta que as gestoras têm vindo a fazer junto das pequenas empresas e dos empresários em nome individual, tem contribuído para manter o peso do mercado corporate.

Está mesmo a caber às PME as maiores taxas de crescimento na aquisição de veículos, sendo que a sua adesão ao renting está a crescer também.

Motivo pelo qual a Conferência Gestão de Frotas da Fleet Magazine, que se realiza dia 27 de Outubro no Centro de Congressos do Estoril, dedica uma parte importante da Exposição a este tipo de público.

“As PME têm vindo a mostrar um interesse cada vez maior pelo renting e são, indiscutivelmente, a área com maior potencial de crescimento a curto/médio prazo. Neste momento, representam aproximadamente um quinto da nossa carteira total de clientes, peso esse que tem vindo a aumentar de ano para ano”, confirma Pedro Pessoa, diretor comercial da Leaseplan.

“Ao nível das PME/ENI, o número de novos contratos continua a acelerar. Aliás, verificámos um crescimento de carteiras de 63% nos primeiros seis meses do ano”, reforça Nelson Lopes, o novo Head of Fleet da VWFS,

O número dos carros de praça tem também crescido, sendo que nas maiores zonas urbanas e turísticas, os novos meios de transporte assentes em plataformas digitais e ainda as empresas com serviços de deslocação aeroporto/hotéis/eventos são um mercado em ascensão na área do renting.

Consulta a Fleet Magazine para mais artigos sobre o mercado automóvel.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub