Desde 39 309 euros

Skoda Kodiaq. Naturalmente familiar

O Skoda Kodiaq apresenta-se como o maior SUV da marca checa. Será que o carro grande Kodiaq corresponde a um «grande carro»?

A Skoda adaptou-se aos tempos. Apesar dos SUV não serem inéditos na marca – o Yeti já está entre nós desde 2009 -, os próximos lançamentos terão forte foco nesta tipologia. Este ano conhecemos o Skoda Kodiaq, em breve ficaremos a conhecer o Karoq, que substitui o Yeti, e mais para a frente a Skoda apresentará uma versão “coupé” do Kodiaq e ainda um SUV de pequenas dimensões, posicionado abaixo do Karoq. Um total de quatro modelos SUV.

Este ataque começou precisamente por cima, com a apresentação do Kodiaq, um SUV de dimensões avantajadas, capaz de acomodar sete passageiros. E como é o habitual na Skoda, esta sua nova proposta aposta forte nos valores que os seus clientes apreciam: praticidade, robustez e boa relação valor-custo.

Boas fundações

O Skoda Kodiaq assenta sobre a MQB, a plataforma para todo o serviço do grupo Volkswagen, servindo automóveis tão distintos que podem ir do novo SEAT Ibiza, passando pelo Volkswagen Golf, até a SUV de grandes dimensões como o Kodiaq. A flexibilidade da plataforma e o seu packaging eficaz permitem ao Kodiaq não só apresentar cotas internas generosas, como ter um peso razoavelmente contido, tendo em conta as suas dimensões.

Visualmente, revela um estilo pragmático e robusto, composto sobretudo por linhas rectas e arestas acutilantes. Destaca-se a frente, com óticas de desenho afilado e uma grelha invulgarmente bem dimensionada e integrada, sem cair nos exageros de outros SUV, que acentuam desmesuradamente a agressividade visual. O Kodiaq tem aspeto mais assertivo e consensual. Não apaixona, mas também não compromete.

O bom design reflecte-se também na funcionalidade do desenho. Com o estilo a não atropelar as necessidades práticas, a visibilidade revela-se bastante boa, algo não muito comum hoje em dia. Nem as janelas são pequenas, nem os pilares intrusivos, e mesmo a visibilidade traseira está num bom plano. O resultado é que mesmo com 4.7 metros de comprimento e quase 1.9 metros de largura, o Skoda Kodiaq é relativamente fácil de estacionar, mesmo não recorrendo à câmara traseira. Para situações de maior aperto, os sensores de estacionamento são suficientes.

Skoda Kodiaq Style 2.0 TDI DSG

Simply Clever

Temos que recorrer ao slogan da marca, traduzindo-se algo como “simplesmente inteligente”, que aplica-se aos mais variados aspetos do carro. Sim, estamos no verão, pelo que não faz sentido estar a evidenciar a inclusão de guarda-chuvas no interior das portas dianteiras e um raspador de gelo na tampa do depósito de combustível. Mas aposto que no inverno apreciaremos a atenção a estes pormenores.

Outros revelam-se mais úteis no dia-a-dia. As portas têm protecções com plásticos retracteis quando as abrimos, evitando que a chapa toque noutros carros, em situações em que não há muito espaço para as abrir. Útil é também o sistema de abertura da bagageira passando o pé por baixo do para-choques.

As bolsas das portas permitem levar uma garrafa de 1,5 litros. Por baixo dos bancos dianteiros temos gavetas e na consola central temos orifícios que permitem colocar moedas e até cartões tipo Multibanco. Atrás as janelas traseiras trazem cortinas embutidas, e na bagageira, a iluminação é efetuada por duas pequenas lanternas LED, que podem ser retiradas.

Não tão “Simply Clever”

Claro que nem tudo é perfeito. Os sete lugares do nosso Skoda Kodiaq podem ser vistos com um ponto extra para a versatilidade. Mas – há sempre um “mas”… – o acesso e o espaço à terceira fila deixam bastante a desejar. Algo comum neste tipo de propostas. Os dois lugares servem bem para crianças ou adultos de estatura baixa. Quem tenha mais de 1.70 metros de altura, terá que obrigatoriamente empurrar a segunda fila para a frente, prejudicando os seus ocupantes. E os pés estão sempre demasiado elevados, o que não é a forma mais confortável de viajar.

Colocar os bancos para que possam ser usados, também obriga a alguma “ginástica”. Recolher e retirar a cobertura da mala, empurrar segunda fila para a frente – até 18 centímetros possíveis -, levantar as costas dos dois pequenos bancos, colocar os cintos correspondentes na sua posição final. Operação inversa para voltar a uma configuração de cinco lugares.

Interior pragmático

Com a terceira fila de bancos montada, a capacidade da bagageira é de meros 270 litros. Com estes rebatidos – costas niveladas com o piso da bagageira – permitem generosos 560 litros, que se podem transformar em 735, empurrando na totalidade a segunda fila de bancos para a frente. Espaço é sem dúvida um dos maiores argumentos do Kodiaq.

 

Skoda Kodiaq Style 2.0 TDI DSG

O resto do interior convence. Não só já mencionámos os aspetos práticos do mesmo, como também traduz-se numa construção robusta. Ruídos parasitas destacaram-se pela sua ausência, e nota-se alguma atenção especial em alguns dos revestimentos, contribuindo para a percepção elevada de qualidade a bordo.

Sim, existem interiores mais apelativos – o do Kodiaq tem aparência bastante convencional -, mas funciona. A ergonomia é elevada, tudo está logicamente distribuído e não se perde muito tempo a tentar “descodificar” onde está o quê.

Mesmo o sistema de infoentretenimento é de fácil adaptação, apesar de manter reservas sobre a funcionalidade de um ecrã táctil no interior de um carro em movimento, quando estamos ao volante.

O companheiro ideal para longas distâncias?

E é ao volante que o Skoda Kodiaq continua a convencer. A expectativa seria a de uma criatura desta dimensão ser mole e imprecisa com ângulos cómicos de adorno da carroçaria. Não poderia estar mais longe da verdade.

O grande Kodiaq convence pela sua precisão, previsibilidade e estabilidade. Os movimentos da carroçaria são razoavelmente controlados e o comportamento eficaz e previsível. O peso dos comandos é correto e os limites de aderência não comprometem, pondo em causa a necessidade de versões de tração total, que apenas fazem sentido em outro tipo de cenários, bem mais específicos.

Os objectivos familiares do SUV revelam-se no nível de conforto elevado – apesar da nossa unidade vir com as rodas maiores, opcionais, de 19″ (405€).

O que deu para verificar é que o Kodiaq parece talhado para grandes distâncias. E o motor e a caixa de velocidades são argumentos de peso para essa missão. O motor 2.0 TDI com 150 cavalos, juntamente com a caixa DSG (dupla embraiagem) de sete velocidades casam de forma bastante harmoniosa. A DSG poucas vezes hesita na escolha da relação e consegue aproveitar todo o sumo que o motor tem para dar.

Motor que se revelou progressivo e linear. Tipicamente Diesel, é nos médios regimes que é mais forte. Os 340 Nm de binário, quando requeridos, parecem retirar algumas centenas de quilos aos mais de 1700 do Skoda Kodiaq.

A Skoda anuncia uns muito otimistas 5,0 l/100 km de consumo médio (ciclo NEDC). Só vimos valores dessa ordem em autoestrada, a velocidades estabilizadas de 120 km/h. No dia-a-dia, com um mix que envolva trajectos urbanos, esperem consumos 40% superiores, a rondar os 7,0 litros.

Tração dianteira significa Classe 1 nas portagens

O preço da unidade ensaiada ascende a 48 790€, resultado dos 6000€ em extras que possuía. Já mencionámos as jantes de 19″, mas também trazia estofos em pele e Alcantara, cruise control adaptativo, pintura metalizada, sistema de navegação Columbus, vidros traseiros escurecidos e o tejadilho panorâmico. Por fim, também vinha com uma câmara multifunções que fazia parte do assistente de manutenção na faixa de rodagem, e do alerta de ângulo morto.

A nossa unidade, com duas rodas motrizes, tem a vantagem de poder ser Classe 1 nas portagens, quando equipado com Via Verde.

Ficha técnica
Škoda Kodiaq 2.0TDI 150cv Style DSG
Configurar este modelo

Preço

unidade ensaiada

48.790

Versão base: €42.719

IUC: €252

Classificação Euro NCAP: 5

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1968 cm3
    • Posição: Transversal Dianteira
    • Carregamento: Injeção Direta, Common Rail, Turbo de Geometria Variável e Intercooler
    • Distribuição: 4 válvulas por cilindro, duas árvores de cames
    • Potência: 150 cv entre as 3500 rpm e 4000 rpm
    • Binário: 340 Nm entre as 1750 rpm e 3000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Dupla Embraiagem de 7 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4697 mm / 1882 mm / 1655 mm
    • Distância entre os eixos: 2791 mm
    • Bagageira: 270 litros - 7 lugares, 560-735 litros - 5 lugares
    • Jantes / Pneus: 235/50 R19
    • Peso: 1714 kg
    • Relação peso/potência: 11.42 kg/cv
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5.0 l/100 km
    • Emissões de CO2: 131 g/km
    • Vel. máxima: 199 km/h
    • Aceleração: 9.9 segundos
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 anos Pintura, 12 anos Anti-Corrosão
  • Equipamento
    • Airbags - Dianteiros, Laterais, Cortina e Joelho
    • Ar Condicionado Tri-zona
    • Cruise Control
    • Retrovisores elétricos, aquecidos e retráteis
    • Faróis Dianteiros LED com AFS e função cornering
    • Câmara Traseira
    • Sensores de Estacionamento Dianteiros e Traseiros
    • Mirror Link e RSE App
    • Ecall - Chamada de Emergência
    Extras
    Sistema de navegação COLUMBUS com Mapas Europa, Smartlink e Voice Control; Tejadilho panorâmico, Estofos em pele e Alcantara; Jantes de liga leve 7J x 19" Triglav, polidas; Lane Assist + Blind Spot Detect, com câmara multifunções; Front assist - com adaptive cruise control até 160km/h; Pintura metalizada; Travel Assist - reconhecimento dos sinais de trânsito e câmara multifunções; Vidros escurecidos a partir do pilar B
Avaliação
8 / 10
O primeiro SUV de grandes dimensões da Skoda não é apenas grande como também é um grande carro. Excelente para longas viagens, graças ao conforto elevado assim como o habitáculo e bagageira são vastos. No entanto, a terceira fila de bancos revela-se limitada. De resto, o motor TDI e a caixa DSG parecem ter sido projetados exclusivamente para o Kodiaq, casando de forma harmoniosa com os objectivos familiares do modelo. Mas não estejam à espera dos consumos anunciados. A nossa unidade vinha com 6000 euros em extras, puxando o preço para perto dos 50 mil euros, mas por outro lado, o equipamento presente era bastante completo. Uma proposta convincente.
  • Espaço
  • Conjunto Motor e Caixa
  • Praticidade e Versatilidade
  • Acesso e Espaço na terceira fila de bancos
  • Consumos bastante acima dos anunciados
  • Preço com todos os extras

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos

Pub