Lançamento

Os primeiros Tesla Model 3 já foram entregues. E agora?

Prometido e cumprido: os primeiros Tesla Model 3 já foram entregues. Ficámos também a conhecer ao detalhe o automóvel de que toda a gente fala.

E Elon Musk cumpriu. O CEO da Tesla tinha prometido iniciar a produção do Model 3 durante o mês de julho e esse objectivo foi alcançado. Este fim de semana, numa cerimónia mediática, entregou as chaves dos primeiros 30 Model 3 aos seus novos proprietários.

Estes são funcionários da própria Tesla, que servirão igualmente de beta testers, ou seja, pilotos de testes que permitirão limar todas as arestas antes das primeiras entregas aos clientes começarem a ser efetuadas em outubro.

A lista de espera é longa. A apresentação do Model 3, em abril de 2016, levou a que 373 mil pessoas efetuassem a pré-reserva – cerca de 1000 dólares – um fenómeno só equiparável ao lançamento de um novo iPhone. Mas esse número não parou de crescer. Musk admitiu que atualmente o número de pré-reservas ascende a 500 mil. Ou seja, com os planos de produção anunciados, maior parte das entregas só acontecerá em 2018.

Os planos apontam para mais 100 carros serem produzidos durante o mês de agosto, mais de 1500 em setembro e a partir daí subir a cadência até atingir 20 mil unidades por mês em dezembro. O objectivo de 500 mil carros por ano deverá ser possível em 2018.

Ainda persistem dúvidas sobre a capacidade da Tesla em dar o salto de pequeno construtor para um de grande volume. Não só pela dimensão da tarefa em instalar uma linha de produção capaz de produzir meio milhão de automóveis por ano, como pela capacidade de lidar com o pós-venda. São conhecidos os problemas que os Model S e Model X sofreram, pelo que é imperativo que o lançamento do Model 3, que adicionará centenas de milhares de carros novos por ano, corra melhor. O Model 3 é definitivamente a derradeira prova de fogo para a Tesla.

Preço de acesso por 35 mil dólares? Não é bem assim

Dado o número de encomendas inicial a satisfazer foi necessário simplificar ao máximo a linha de produção. Para tal, apenas uma configuração do Model 3 será produzida inicialmente e custará cerca de 49 mil dólares pré-incentivos, 14 mil dólares a mais que os 35 mil prometidos. A versão de acesso à gama só chegará à linha de produção no final do ano.

Os 14 mil dólares a mais trazem um conjunto de baterias maior – permitem 499 km de autonomia em vez dos 354 km da versão base – e melhores performances. Os 0-96 km/h são cumpridos em 5.1 segundos, menos 0.5 segundos do que a versão de acesso. A maior autonomia é uma opção de 9000 dólares, pelo que os restantes 5000 em falta resultam na adição de um pacote Premium. Este pacote traz equipamentos como bancos e direção eletricamente ajustáveis, bancos aquecidos, teto panorâmico, sistema áudio de maior qualidade e melhores revestimentos no interior, como a madeira.

Mesmo quando a produção estiver em velocidade de cruzeiro e todas as configurações estiverem em produção, a própria Tesla estima que o Model 3 tenha um preço de aquisição médio à volta dos 42 mil dólares por unidade, colocando-o ao nível, nos EUA, do segmento D premium, onde podemos encontrar propostas como o BMW Série 3.

O Model 3 em detalhe

Há um ano conhecemos os primeiros protótipos e o modelo final de produção do Tesla Model 3, não difere muito destes. O criticado nariz do Model 3 foi suavizado, a bagageira viu o seu acesso ser melhorado, e os bancos rebatem a 40/60. Fisicamente é um pouco maior que um BMW Série 3 – tem 4.69 m de comprimento, 1.85 m de largura e 1.44 m de altura. A distância entre eixos é longa, atingindo os 2.87 m e promete cotas de habitabilidade semelhantes ao modelo alemão.

Para já vem apenas com tração traseira – tracção integral estará disponível em 2018 – e pesa 1609 ou 1730 kg, dependendo do conjunto de baterias. A suspensão dianteira é de duplos triângulos sobrepostos, enquanto que a traseira recorre a um esquema multi-braços. As rodas são de 18 polegadas de série, tendo como opção, 19 polegadas.

Mas é por dentro que o Model 3 se destaca, elevando o minimalismo a um novo nível. Não existe um painel de bordo convencional, apenas um enorme ecrã tátil de 15 polegadas central. Os únicos botões presentes são os que se encontram no volante e por detrás deste existem umas hastes como noutros automóveis. De resto, tudo estará acessível apenas e só através do ecrã central .

De série o Model 3 vem com todo o hardware necessário para algumas capacidades autónomas – sete câmaras, radar frontal, 12 sensores ultrassónicos. Mas para aceder a todo o potencial do Autopilot será necessário pagar mais. O Enhanced Autopilot está disponível por mais 5000 dólares, permitindo cruise control ativo e assistência de permanência na faixa de rodagem. Um Model 3 autónomo será uma opção futura e já vem com preço – mais 3000 dólares a acrescentar aos 5000. No entanto, a disponibilidade desta opção não está dependente da Tesla, mas sim da introdução dos regulamentos que incidirão sobre os veículos autónomos.

Para os portugueses que pré-reservaram o Tesla Model 3, a espera ainda vai ser longa. As primeiras entregas só acontecerão em 2018.

Mais artigos em Notícias