Apresentação

Novo Audi A8 finalmente revelado. Os primeiros detalhes

Após intermináveis teasers, é finalmente revelado o novo Audi A8, que promete ser o modelo mais avançado de sempre da marca dos anéis.

Assente sobre a última evolução da plataforma MLB, a quarta geração do Audi A8 (geração D5) revela finalmente a sua face, após intermináveis teasers sobre as muitas novidades tecnológicas do novo modelo.

Destaca-se nesta nova geração a inclusão, de série, de um sistema elétrico de 48 volts (como no Audi SQ7), que permite adotar soluções tecnológicas mais avançadas, como, por exemplo, uma suspensão ativa eletromecânica (ver destaque). A Audi também anuncia que o A8 será o primeiro carro a chegar ao mercado com tecnologias de condução autónoma de nível 3.

Evolução, não revolução

No que toca ao design, este é o primeiro modelo desenhado totalmente sob a responsabilidade de Marc Lichte. Mas não esperem uma revolução. Apesar de toda uma série de elementos novos, a palavra de ordem continua a ser evolução. O novo A8 é a primeira aplicação prática de tudo o que vimos no Prologue, o concept de 2014, que, segundo Lichte, era uma fusão do que poderíamos esperar das novas gerações do A8, A7 e A6.

Desse concept, o novo A8 herda a nova grelha hexagonal, que se estende por quase toda a frente. Enquanto na traseira também encontramos novidades, com as óticas a estarem agora unidas por uma barra de luz e outra cromada. Como seria de esperar as óticas dianteiras e traseiras são LED, com as dianteiras, denominadas HD Matrix LED, a conterem lasers.

O novo Audi A8 é mais comprido 37 mm (5172 mm), mais alto 13 mm (1473 mm) e mais estreito em 4 mm (1945 mm) que o seu antecessor. A distância entre eixos cresce marginalmente em 6 mm até aos 2998 mm. Como acontece agora, também existirá uma carroçaria longa, A8L, que acrescenta 130 mm ao comprimento e distância entre eixos.

A vasta carroçaria e estrutura adopta materiais diversos. O alumínio ainda é o material mais usado, correspondendo a 58% do total, mas também podemos encontrar aço, magnésio e até fibra de carbono na secção traseira.

Todos os A8 são híbridos

Inicialmente poderemos escolher entre duas motorizações no novo Audi A8. Ambas com arquitetura V6 e 3.0 litros de capacidade. A TFSI, a gasolina, desenvolve 340 cavalos, enquanto a TDI, a Diesel, desenvolve 286 cavalos. Posteriormente, em 2018, chegarão os V8, com 4.0 litros, também a gasolina e Diesel, com 460 cv e 435 cv, respetivamente.

O W12 de 6.0 litros também marcará presença e, claro, não podemos esquecer S8, que deverá recorrer a uma versão mais vitaminada do 4.0 V8 TFSI. Comum a todas as motorizações é o recurso a uma transmissão automática de oito velocidades e a tração às quatro rodas.

O sistema de 48 volts, presente em todas as motorizações, torna todos os A8 em híbridos, ou melhor mild-hybrids (semi-híbrido). Isto significa que o novo modelo poderá ter algumas funções híbridas, como desligar o motor em andamento, stop-start de uso mais alargado e recuperação de energia cinética durante a travagem. Segundo a marca, pode significar poupanças de combustíveis de até 0.7 l/100 km em condições reais de condução.

O que o sistema de 48 volts não permite é qualquer tipo de autonomia elétrica. Essa ficará a cargo do A8 e-tron quattro – um híbrido “completo” (full-hybrid) – que casará o 3.0 litros V6 TFSI com um motor elétrico, permitindo até 50 km de autonomia elétrica

41 sistemas de assistência à condução

Vamos repetir: quarenta e um sistemas de assistência à condução!  Mas já lá vamos… primeiro vamos ao interior.

O interior segue as tendências minimalistas que já tínhamos observado no Prologue. E o que se nota é uma quase ausência de botões e de manómetros analógicos. O A8 vem com o Audi Virtual Cockpit e é acompanhado, não por um, mas por dois ecrãs na consola central. O inferior, de 8.6 polegadas, é curvo. É nestes ecrãs que encontraremos o Audi MMI (Audi Multi Media Interface), que pode ser configurado com até seis perfis, permitindo aceder a até 400 funções distintas.

2018 Audi A8 interior

Mas não será só através dos ecrãs táteis que poderemos aceder às diversas funções do MMI, já que o novo Audi A8 também permite comandos por voz e as principais funções podem ser acedidas através dos comandos no volante.

Entre as inúmeras funcionalidades temos um sistema de navegação inteligente, com função de auto aprendizagem, configuração das câmaras ou um sistema de som 3D.

Também são muitos os sistemas de assistência à condução, mais de 40 (não é um erro… são mesmo mais de 40 sistemas de ajuda à condução!), destacando-se os que permitem condução autónoma, como o Traffic Jam Pilot que toma conta das «operações» em situações de engarrafamento ou de deslocação a baixa velocidade (até 50 km/h em autoestrada). O sistema recorre a câmaras, radares, sensores ultra-sónicos e, uma estreia no mundo automóvel, a um scanner laser.

O sistema permite que o carro ligue ou desligue-se sozinho, acelere e trave, e mude de direção. No entanto, devido à ausência de regulamentos concretos na generalidade dos mercados, nem todas as funcionalidades do sistema poderão estar disponíveis nesta primeira fase.

Também ao estacionar o novo Audi A8, em certas situações, o condutor pode sair do veículo e controlar o carro através do telemóvel, com as funções Remote Parking Pilot e Remote Garage Pilot.

Quando chega?

O novo Audi A8 chegará aos diversos mercados no início do outono, e os preços, na Alemanha, deverão iniciar-se nos 90 600 €, com o A8 L a começar nos 94 100 €. Antes disso, deverá ser publicamente apresentado no Salão de Frankfurt, no início de setembro.

(em atualização)

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub