Diesel

Volvo diz que atual geração de motores Diesel pode ser a última

Håkan Samuelsson, diretor executivo da Volvo, em declarações à imprensa, afirmou que a atual geração de motores Diesel da marca deverá ser a última.

O processo de renovação da gama da Volvo, que ainda decorre, incluiu a apresentação de novas gerações das suas motorizações gasolina e Diesel. Håkan Samuelsson, em entrevista ao Frankfurter Allgemeine Zeitung, comentou sobre o futuro das suas mecânicas: “do ponto de vista atual, não iremos desenvolver mais uma nova geração de motores Diesel.”

As razões prendem-se, sobretudo, com os custos cada vez mais elevados associados à redução das emissões de óxido de azoto (NOx).

A marca sueca lançará o seu primeiro modelo 100% elétrico já em 2019.

Após conhecidas as suas declarações, de carácter aparentemente definitivo, a Volvo e Samuelsson emitiram outras colocando alguma “água na fervura”. Declarações que vão no sentido de que ainda continuam a ser discutidas opções, mais do que seguir um plano já definido.

Håkan Samuelsson em Genebra 2017

Em declarações posteriores enviadas à Reuters, Sammuelson referiu que “acabámos de lançar uma nova geração de motores a gasolina e Diesel, destacando o nosso compromisso para com esta tecnologia. Como resultado, uma decisão sobre o desenvolvimento de uma nova geração de motores Diesel não é necessária”.

Diesel ainda é fundamental para reduzir emissões

A marca sueca já reconheceu anteriormente que durante os próximos anos o Diesel terá um papel crucial para reduzir as emissões de CO2, tal como foi imposto pela União Europeia. A atual geração de modelos, já concebida a pensar nas futuras regras relativas às emissões, continuará a evoluir até pelo menos 2023.

Mas 2020 parece ser o ano de charneira. Novas normas de emissões entrarão em vigor – Euro 6d -, onde o custo de desenvolver e produzir motores que as cumpram subirá significativamente, ao ponto de se tornar inviável para o construtor.

A tecnologia híbrida e elétrica, no entanto, assiste a um percurso inverso no que toca a custos. Prevê-se que no espaço de poucos anos a tecnologia PHEV (Plug In Hybrid Electric Vehicle) consiga ser equiparável em custos aos atuais motores Diesel.

Atualmente a Volvo já disponibiliza versões híbridas de alguns dos seus modelos. Mas a dependência dos Diesel continua a ser bastante elevada. Na Europa, 90% dos Volvo XC90 vendidos são a Diesel.

A aposta nos híbridos será para manter, expandindo-se também a veículos totalmente elétricos. A marca sueca lançará o seu primeiro modelo 100% elétrico já em 2019.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub