Jeep Compass, a peça que faltava

O Jeep Compass é uma peça crucial nas ambições globais da Jeep. Chega à Europa esta ano e promete agitar as águas.

A Jeep está “on fire”. Dentro do universo FCA (Fiat Chrysler Automobiles) é um verdadeiro caso de sucesso – e bem precisam. A expansão global da marca tem superado as expectativas, e o objectivo de vendas de dois milhões de unidades anuais em 2018 é perfeitamente alcançável.

O novo Jeep Compass é uma peça crucial para esse efeito. A marca acaba de anunciar a apresentação da versão europeia do Compass para o próximo salão de Genebra.

2017 Jeep Compass frente

O SUV médio da Jeep terá rivais como o líder Nissan Qashqai, o recente Peugeot 3008, ou o Hyundai Tucson. O Jeep Compass vai entrar num segmento em forte expansão, tanto a nível de propostas como em vendas.

Estamos a falar de um segmento (SUV médios) que cresceu cerca de 22% o ano passado na Europa, bem acima dos 6.8% do mercado. Um fenómeno não apenas europeu, mas global, com os diversos mercados a registar fortes subidas neste tipo de modelos.

Os ingredientes do Jeep Compass para atacar o mercado

Sendo o Compass um Jeep, a marca promete que este seja o modelo mais capaz do segmento fora de estrada – pelo menos nas versões Trail Rated (altura ao solo mais elevada, proteções na carroçaria e sistema de tração redesenhado). Para tal, o Compass terá dois sistemas de tração total disponíveis. Ambos permitem desconetar o eixo traseiro, quando não necessário, em prol de melhores consumos.

2017 Jeep Compass traseira

Quanto ao seu posicionamento, o Compass situa-se dentro da gama Jeep entre o Renegade e o Cherokee, mas o seu desenho inspira-se generosamente no atual topo de gama da Jeep, o Grand Cherokee.

No geral, a semelhança na silhueta é clara, e mais especificamente, o desenho dos elementos na frente parecem uma versão à escala dos usados no Grand Cherokee. O resultado final é um desenho coeso e equilibrado. Mais apelativo e consensual do que o Cherokee, e mais adulto e sofisticado que o Renegade.

É do Renegade que o Compass herda a plataforma (Small US Wide). Esta foi esticada em comprimento e largura, trazendo benefícios nas cotas internas. O Compass tem 4.42 m de comprimento, 1.82 m de largura, 1.65 m de largura e 2.64 m de distância entre eixos.

Apesar de já estar a ser comercializado nos mercados sul e norte-americano, ainda não foram disponibilizadas as especificações finais para o mercado europeu. De momento, sabemos que existirão no total dois propulsores Diesel e três Otto, mas dependerá do mercado a disponibilidade dos vários propulsores. Como exemplo, nos EUA, apenas está disponível o quatro cilindros de 2.4 litros Tigershark a gasolina.

Já mencionámos a presença de dois sistemas de tração total, mas o Compass também oferece versões de apenas duas rodas motrizes. A transmissão fica a cargo ou de uma caixa manual ou uma automática (exclusiva para as versões de duas rodas motrizes), ambas com seis velocidades. Uma terceira transmissão automática de nove velocidades, opção única no segmento, estará disponível apenas para as versões de tração às quatro. Entre motorizações e transmissões, haverá um total de 17 combinações possíveis.

A NÃO PERDER: Especial. As grandes novidades do Salão de Genebra 2017

No interior poderemos encontrar a quarta geração do Uconnect, o sistema de infoentretenimento disponível em múltiplos modelos da FCA. Apple CarPlay e Android Auto marcarão presença e o Uconnect estará disponível em três tamanhos: 5.0, 7.0 e 8.4 polegadas.

2017 Jeep Compass interior

O Jeep Compass será um verdadeiro cavalo de batalha global para a Jeep. Estará disponível em mais de 100 países e será produzido em quatro locais distintos: Brasil, China, México e Índia. Aguardamos pelo desvendar do modelo em Genebra, onde ficaremos a conhecer as especificações finais deste importante modelo.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias