Tuning

A «Pão de Forma» mais radical de sempre tem 586 cv de potência

Com esta «Pão de Forma» modificada, Mike Rowan segue uma tradição muito americana: colocar um motor de grande cilindrada num veículo pouco apropriado para o efeito.

“É o meu daily-driver, conduzo-a todos os dias”.

Numa altura em que a Volkswagen parece apostada em desenvolver uma «pão de forma» do futuro, com tecnologias de condução autónoma e uma motorização elétrica, há que se continue a divertir com modificações radicais às versões mais antigas, como já vimos aqui e aqui.

Mike Rowan, ou «HotRod» como é conhecido, é uma dessas pessoas. De acordo com a Engine Swap Depot, o chassis desta «Pão de Forma» foi comprado por cerca de 275 dólares, mas em vez de desenvolver este clássico à sua condição original, Mike seguiu um caminho ligeiramente diferente: transformá-la numa verdadeira «drag machine».

GLÓRIAS DO PASSADO: Alfa Romeo 1900 M “Matta” (AR52): o verdadeiro antecessor do Stelvio

Para isso, Mike Rowan desfez-se do motor boxer original e colocou um bloco V8 de 7.7 litros de 586 cv da Chevrolet em posição central, acoplado a uma transmissão automática. Para lidar com toda esta potência, Mike “roubou” um diferencial a um Lincoln Continental e acrescentou uma suspensão pneumática, em conjunto com um chassis especialmente desenvolvido para o efeito. No final, todo este trabalho demorou apenas seis semanas.

Caso os 586 cv não sejam suficientes, Mike Rowan tem à disposição um sistema de injeção de oxido nitroso para um «boost» adicional. Ainda assim, ao contrário do que se poderia pensar, Mike Rowan não quer sequer ouvir falar em corridas. “É o meu daily-driver, conduzo-o todos os dias», afirma.

Mais artigos em Notícias