Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

SEAT e Aqualia criam o primeiro combustível alternativo com origem em águas residuais

O processo de obtenção do biogás a partir da água depurada é conseguido com recurso a diversas inovações de I+D+i da Aqualia.

A SEAT e a Aqualia – uma empresa que se dedica ao tratamento de águas – uniram esforços no desenvolvimento de um projeto inovador apelidado de “SMART Green Gas”, que tem como objetivo a obtenção de biocombustível renovável de origem proveniente de águas residuais, de forma a poder ser utilizado em veículos de gás natural comprimido (GNC).

Com o início desta colaboração, que terá a duração de cinco anos, as duas empresas iniciaram neste mês de outubro os testes piloto na unidade de tratamento de águas residuais de Jerez. Para este efeito, a SEAT entregou dois veículos SEAT Leon TGI à Aqualia, para que esta empresa possa realizar os testes necessários com o biometano produzido pelas águas residuais, podendo assim verificar toda a cadeia produtiva desde a obtenção à utilização do combustível, tendo como principal vantagem o facto de um veículo 100% a gás biometano conseguir reduzir em 80% as emissões de CO2 no ciclo “Well to Wheel” comparando-o com o consumo de gasolina.

A SEAT atribui um valor muito positivo a esta colaboração. É desta forma que o Dr. Matthias Rabe, Vice-presidente para a Investigação e Desenvolvimento da SEAT, descreve o acordo: “Com este projeto de desenvolvimento e de colaboração com a Aqualia, a SEAT torna-se a primeira marca do setor automóvel do país a utilizar biometano 100% espanhol obtido a partir de águas residuais”. “Fomentar a produção de combustíveis alternativos renováveis, que ajudem a promover uma melhoria futura do meio ambiente e do uso do veículo a longo prazo nas cidades, faz parte integrante da estratégia de GNC da SEAT”, resumiu o Dr. Rabe.

A NÃO PERDER: Audi propõe A4 2.0 TDI 150cv por 295€/mês

Félix Parra, diretor geral da Aqualia, esclareceu que “trabalhamos para mudar o paradigma atual, segundo o qual o tratamento de águas implica um significativo custo energético. Este projeto resulta da intensa investigação que a Aqualia desenvolve no sentido de retirar recursos valiosos do processo de depuração. O desenvolvimento do projeto Smart Green Gas numa unidade depuradora de média dimensão poderia produzir, potencialmente, um milhão de litros de biogás por dia, o que é suficiente para alimentar mais de 300 veículos. E isto permitiria, por exemplo, abastecer na cidade a rede de autocarros urbanos, os camiões de lixo, os veículos da polícia e as ambulâncias, entre outros.”

SMART Green Gas pretende flexibilizar e otimizar o sistema energético, conseguindo uma melhoria na política energética da EU, dando uma maior autonomia e sustentabilidade às cidades que adotem este sistema nas suas estações de tratamento de águas residuais. Tudo isto a partir do desenvolvimento de novos sistemas de máxima eficiência para a produção de biogás e a sua conversão em biometano, que se extrai dos resíduos tratados nas estações de tratamento de águas residuais (ETAR) das cidades. O objetivo da SMART Green Gas é a obtenção de combustível autóctone e renovável que possa ser utilizado no setor automóvel injetando-o na rede de distribuição de gás natural.

Apoiado pelo Centro para o Desenvolvimento Tecnológico Industrial (CDTI), a SMART Green Gas está a desenvolver-se com o trabalho de cinco sócios – entre os quais a Gas Natural Fenosa y Naturgas EDP – e também de organismos públicos de investigação como o Instituto Catalán de Investigación del Agua (ICRA) e as Universidades de Girona, Valladolid e Santiago de Compostela. A SEAT participa em associação com a Aqualia.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias