Mansory Mercedes AMG GT-S: agressividade e potência

A Mansory tem-nos vindo a habituar ao longo dos últimos anos aos seus modelos com aquele visual “pronto a atacar” e a níveis de potência nada “modestos”. Com 730 cavalos e um design particularmente agressivo, o Mansory Mercedes AMG GT-S cumpre o objectivo.

Desde o novo body-kit com saias laterais e cavas alargadas, um novo pára-choques dianteiro e traseiro com difusor integrado e um capô com novas entradas de ar em fibra de carbono, o Mansory Mercedes AMG GT-S deverá ser quase certamente a principal atracão no stand da conhecida modificadora no decorrer do Salão de Genebra este ano. As enormes jantes em liga leve de 21 polegadas e o spoiler traseiro, realçam ainda mais o ADN “ameaçador” deste modelo.

ACOMPANHA AQUI TODAS AS NOVIDADES DO SALÃO DE GENEBRA

Passando para o interior, o “toque” único de exclusividade da Mansory mantém-se presente. À primeira vista são as aplicações em fibra de carbono que mais chamam a atenção, desde os tons encarnados até á barra de reforço traseira, passando pelos assentos também eles em fibra de carbono e revestidos em pele de elevada qualidade em tons negro e vermelho, pedais em alumínio e embaladeiras das portas iluminadas.

Debaixo do longo capô, o Mansory Mercedes AMG GT-S apresenta num dos seus principais atributos – a performance – o mesmo motor V8 4.0 Biturbo do Mercedes AMG GT-S, contudo, com algumas alterações. Um novo sistema de escape em aço inoxidável, novo filtro de ar, turbos de maiores dimensões e recorrendo à reprogramação da ECU, a Mansory conseguiu elevar os 510 cavalos da versão “base” até aos 730 cavalos de potência. A aceleração dos 0 aos 100 km/h também impressiona, cumprindo-se em apenas 3,4 segundos e com a velocidade a atingir o seu o máximo aos 329 km/h.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter