Ao volante

Toyota RAV4 Híbrido: um novo ciclo

Já lá vão 20 anos desde que a Toyota apresentou o Toyota RAV4, o modelo nipónico recebe agora uma variante híbrida. A Razão Automóvel esteve em Alicante para guiar aquele que é o primeiro SUV híbrido da Toyota.

É um momento importante para a marca nipónica, ou não fosse o Toyota RAV4 Híbrido o primeiro SUV compacto híbrido da Toyota para o segmento C-SUV, oferta única no mercado.

Uma história de sucesso

Foi em 1994 que a Toyota lançou o RAV4, o Recreational Active Vehicle apresentava tração integral e a configuração de 3 portas com design compacto (3.695 mm), faziam do Toyota RAV4 o primeiro “4×4 urbano”. Era a inauguração oficial de um novo segmento, o dos SUV compactos.

No primeiro ano de comercialização a Toyota contabilizava 53.000 unidades vendidas do Toyota RAV4, um número que acabaria por triplicar em 1996. O sucesso não ficaria por aqui: em 2013 as vendas eram dez vezes superiores às de 1994, ano de lançamento da primeira geração.

Toyota-RAV4-1994-1st_generation_rav4

O Toyota RAV4 é comercializado em mais de 150 países, com mais de 6 milhões de unidades vendidas das quatro gerações do SUV. O mercado europeu representa 1.5 milhões de unidades e segundo a Toyota, 90% das unidades vendidas desde 1994 continuam em circulação.

A “hibridização” em números

A Toyota conta com larga experiência em modelos híbridos, tendo iniciado esta revolução em 1997 com o lançamento da primeira geração do Toyota Prius, o primeiro veículo híbrido de produção em série.

Desde que o Toyota Prius foi lançado na Europa, há 16 anos, a marca nipónica já vendeu 1 milhão de unidades híbridas no “Velho Continente” e mais 8 milhões em todo o mundo. O resultado? 60% de todos os veículos híbridos vendidos no mundo são Toyota / Lexus e este número de vendas contribuiu para uma redução das emissões estimada em mais de 58 milhões de toneladas de CO2. Objetivos para 2020? Metade das vendas devem ser híbridos.

O mais potente de sempre

Toyota RAV4 Híbrido-7

Debaixo do capot encontramos um motor de 2.5 litros a gasolina em ciclo Atkinson, com 157 cv e 206 Nm de binário máximo. Já o motor elétrico apresenta 105kW (145 cv) e 270 Nm de binário máximo, sendo a potência combinada de 197 cv. Este valor permite ao Toyota RAV4 Híbrido cumprir o sprint dos 0-100 km/h em 8.3 seg. e atingir uma velocidade máxima de 180 km/h (limitados). O Toyota RAV4 Híbrido é a versão mais potente do RAV4 alguma vez vendida na Europa.

E-Four: tração total

O Toyota RAV4 Híbrido está disponível com tração dianteira (4×2) e tração integral (AWD). Nas versões com tração às quatro rodas o Toyota RAV4 Híbrido recebe um segundo motor elétrico no eixo traseiro com 69 cv e 139 Nm, ficando a sua gestão e controlo a cargo do sistema de tração E-Four. Esta solução foi aplicada numa perspectiva de redução de custos, não havendo necessidade de existir um veio entre os dois eixos.

Como funciona?

O sistema de tração E-Four faz variar a distribuição de binário nas rodas traseiras de forma independente do motor elétrico frontal. Para além de optimizar a tração e performance de condução consoante as condições do terreno, reduz as perdas de tração. O facto de ser independente, permite uma optimização de combustível face aos sistemas 4×4 convencionais. A capacidade de reboque é de 1650 kg.

Simular uma caixa manual e modo “Sport”

Uma das novidades do novo Toyota RAV4 Híbrido é o software de controlo do sistema híbrido, que se apresenta totalmente revisto. A caixa de variação contínua (CVT) proporciona uma aceleração linear e a forma progressiva como entrega às rodas a potência é uma mais-valia. A função “shiftmatic”, transmite ao condutor uma sensação similar à das passagens de caixa de uma transmissão manual.

Toyota RAV4 Híbrido-24

O modo “Sport” faz o que lhe compete por tradição: a resposta do motor é melhorada e a tração é imediata.

Toyota Safety Sense: segurança, palavra de ordem

O Toyota Safety Sense combina uma câmara e radar de ondas milimétricas, sistema de pré-colisão (PCS), aviso de saída da faixa de rodagem (LDA), luzes máximas automáticas (AHB) e reconhecimento de sinais de trânsito (RSA).

No Toyota RAV4 encontramos também cruise control adaptativo (ACC) e um sistema de pré-colisão (PCS) melhorado, capaz de detetar potenciais colisões com veículos e peões.

No interior

Um ecrã multi-informações TFT a cores de 4.2 polegadas, localizado no painel de instrumentos, permite-nos consultar todas as informações do veículo durante a condução. No tablier surge, a partir das versões Comfort, o Toyota Touch 2 com ecrã tátil a cores de 8 polegadas.

Toyota RAV4 Híbrido-1

Ao volante

Neste primeiro contacto por terras espanholas tivemos a oportunidade de guiar o Toyota RAV4 Híbrido em vários tipos de terreno e nas duas versões (4×2 e AWD).

Os 197 cv são mais do que suficientes e fazem-se sentir de forma bastante linear (sem grandes demonstrações de pujança), muito por “culpa” da caixa CVT. O ruído do motor continua a marcar uma presença forte nas acelerações mais “a fundo”, havendo ainda algum trabalho a fazer neste campo.

Ao nível dos consumos não é facil ficar perto dos 4,9 litros aos 100 km anunciados, sendo que na versão de tração integral estes tendem a aumentar. Ficam as conclusões por tirar num próximo ensaio completo às duas variantes.

Toyota RAV4 Híbrido-11

O feeling geral é bastante positivo, sendo este um dos modelos da Toyota que mais gostei de guiar nos últimos anos (o primeiro lugar está reservado a um Toyota especial).

O Toyota RAV4 Híbrido tem um look jovem e dinâmico, não traindo o seu ADN. Não percam brevemente na Razão Automóvel o ensaio em terras lusas, vamos levar o Toyota RAV4 Híbrido até à selva urbana, onde se pretende destacar. Estará preparado para ser o rei da selva?

Preços e especificações

Para além do modelo híbrido em estreia, o Toyota RAV4 recebe ainda uma nova proposta diesel: o motor 2.0 D4-D com 147 cv, disponível desde 33.000€ (Active) no mercado português. O Toyota RAV4 Híbrido está disponível desde 37.500€, ascendendo até aos 45.770€ na versão Exclusive AWD.

Classe 1 nas portagens: o Toyota RAV4 é Classe 1 nas portagens, sempre que associado ao dispositivo da Via Verde.

Imagens: Toyota

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto

Os mais vistos