O novo Toyota Prius é esquisito mas…

Primeiro estranha-se, depois entranha-se. Em breves palavras é desta forma que resumo os meus primeiros quilómetros ao volante do novo Toyota Prius.

Na semana passada fui até Valência conhecer o novo Toyota Prius, a quarta geração de um modelo nascido há 18 anos e que já vendeu mais de 3,5 milhões de unidades em todo o mundo. Naturalmente, já o tinha visto antes em imagens e confesso que não foi amor à primeira vista. Chegado a Valência, olhei para ele mais uma dúzia de vezes (à espera do tal click amoroso…) e nada.

Não sendo um automóvel bonito de acordo com os padrões mainstream, o Toyota Prius é acima de tudo… um Toyota Prius. A equipa de design japonesa nunca trabalhou para que o design do Prius fosse consensual – mas na verdade as suas linhas ao vivo até resultam bem. Contrariando as normas no setor, o Prius foi pensado para agradar a uma clientela muito especifica, que gosta da diferença, que gosta de propostas amigas do ambiente e olha para o carro de uma forma menos petrolhead e mais utilitarista.

RELACIONADO: Este Toyota Prius não é como os outros…

Considerações estéticas à parte, a 4ª geração do Toyota Prius evoluiu em todos os sentidos: motor; dinâmica; tecnologia; conforto; e qualidade. É o primeiro modelo da marca a recorrer à plataforma TNGA-C (Toyota New Global Architecture), um estrutura que garante 60% mais rigidez face ao modelo anterior.

novo toyota prius 2016 (38)

Com esta nova plataforma o Prius ganhou também uma competente suspensão traseira independente, as baterias passaram a ficar “arrumadas” debaixo do bancos traseiros (anteriormente ficavam debaixo da mala) e com isto, foi o comportamento dinâmico que saiu a ganhar.  Tem mais 6 cm de comprimento (4540 mm), manteve a distância entre eixos (2700 mm), é 15 mm (1760 mm) mais largo e 20mm (1470mm) mais baixo. Com vêem as dimensões pouco mudaram, mas o centro gravítico mais baixo, a centralização das massas e a nova suspensão traseira mudam a 180º o registo dinâmico do modelo.

Ao contrário da 3ª geração, no novo Toyota Prius sentimos que vamos ao volante de um verdadeiro automóvel – os travões respondem bem, o chassi reage aos nossos inputs e a direção é comunicativa. Posso usar a palavra divertido? É isso mesmo, o novo Toyota Prius é divertido de conduzir. A dianteira é fácil de apontar ao interior da curva e a traseira sob cargas mais elevadas escorrega controladamente para ajudar a manter o «momento». Sim, é um Prius e faz isto…

novo toyota prius 2016 (84)

A animar a nova plataforma voltamos a encontrar o motor 1.8 litros a gasolina da geração anterior (ciclo Atkinson) e dois motores elétricos a trabalhar em conjunto com a unidade térmica – para uma potência total combinada de 122cv. No entanto há varias novidades que fazem com que aquilo que à partida é parecido (motor e sistema elétrico), na estrada resulte melhor do que anteriormente.

O motor recebeu algumas mudanças que o tornaram mais eficiente – a Toyota diz que este 1.8 é o motor a gasolina mais eficiente do mercado (eficiência térmica de 40%) -, o converso eléctrico é 30% mais pequeno, as baterias recarregam 28% mais rápido e a caixa CVT está mais rápida (reduziu em 20% as perdas de potência). Resultado? Um motor sempre disponível e agradável, sem aquele «berro» típico das motorizações com caixa CVT em acelerações mais bruscas.

A aceleração dos 0-100km/h cumpre-se nuns escassos 10,6 segundos e o consumo médio anunciado fica-se pelos 3,0 litros/100km e emissões de apenas 70 g/km (nas versões com jantes de 15 polegadas) – duvido que no “mundo real” consigamos alcançar os 3 litros aos 100, mas a meta dos 5 litros ao 100 num ritmo animado é possível – menos até se tivermos algum cuidado com o pé direito.

A NÃO PERDER: Toyota 2000GT: o desportivo de luxo da Terra do Sol Nascente

Por dentro, mais uma vez a evolução é notória. Vamos sentados mais perto do solo, a posição do volante é correta, os materiais são melhores e a montagem não merece críticas. O head-up display é a cores, o sistema de infoentretenimento é de leitura fácil e as ajudas à condução (travagem automática, cruise control adaptativo, avisador de ângulo morto, etc.) fazem parte do equipamento disponível. A bagageira tem mais de 500 litros e espaço não falta para os ocupantes no banco traseiro. Num Prius onde tudo (finalmente!) parece funcionar em uníssono, reina o silêncio a bordo – uma das grandes preocupações dos homens da Toyota para esta 4ª geração.

Em suma, o Prius pode não ser um “amor à primeira vista” mas convence pelo conceito, dinâmica, espaço a bordo e soluções tecnológicas. Se está a pensar comprar um carro confortável, diferente e com características familiares experimente dar uma volta no Prius. O novo Toyota Prius já se encontra disponível no mercado nacional a partir de 32.215 € (versão Exclusive).

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Testes

Os mais vistos