Ao volante

Renault Talisman: primeiro contacto

O Renault Talisman é a novíssima proposta da Renault para o segmento D. Só chega ao mercado em 2016 mas nós já o testámos, estas são as nossas primeiras impressões ao volante.

Em Florença, Itália

Passaram 21 anos desde que o nome Laguna se juntou à família Renault e com a última geração no mercado desde 2007, estava na altura de evoluir. A marca francesa divorciou-se do seu passado no segmento D, ainda que tenham ficado alguns bens preciosos pelo caminho, e já há novo casamento: o sortudo chama-se Renault Talisman.

Confesso que não esperava bom tempo em Itália. Na madrugada de quinta-feira havia alerta laranja para o nosso destino e o que menos queria era largar o sol que brilhava em Portugal, para encontrar trovada e chuva em Florença.

A Renault ia-nos apresentar o seu topo de gama, um novo elemento na família. Mais moderno, com ar de executivo que frequenta o ginásio regularmente mas que não alinha em esteróides ou suplementos de proteína. O ar refinado e cuidado prometia não se confundir com luxos exacerbados, desnecessários ou mesmo “fatelas”.

Renault Talisman-5

À chegada a Florença passam-me a chave à porta do aeroporto com os Renault Talisman perfeitamente alinhados para nos receber. A primeira coisa que me ocorre e a julgar pelo detalhe da chave, é que isto até tem tudo para correr bem. Para me motivar ainda mais o tempo estava excelente, vamos a isso?

A grande mudança começa pelo exterior

No exterior o Renault Talisman apresenta uma postura mais imponente do que seria de esperar para este segmento. À frente, o grande logótipo da Renault e os LED em forma de “C” dão-lhe uma identidade forte, tornado-o reconhecível ao longe. A traseira quebra um pouco com a “hegemonia das carrinhas”, com a Renault a conseguir criar um produto bastante apetecível. Saindo do pantanoso campo da subjetividade, as luzes traseiras com efeito 3D estão sempre ligadas, é uma novidade.

Há 10 cores à escolha, com a cor especial Améthyste Black disponível apenas nas versões com o nível de equipamento Initiale Paris. As possibilidades de personalização exterior continuam nas jantes: há 6 modelos disponíveis de 16 a 19 polegadas.

Sento-me ao volante do Renault Talisman Initiale Paris dCi 160, a versão diesel top notch do Renault Talisman com um motor 1.6 bi-turbo de 160 cv. Devido ao sistema keyless, o acesso ao interior e o arranque do motor fazem-se com a chave no bolso. A chave que vês na imagem não é uma novidade, foi um modelo introduzido com o novo Renault Espace.

No interior, (r)evolução total.

Desde o tablier até aos bancos, o Renault Talisman é um poço de novidades. Os últimos foram concebidos em parceria com a Faurecia, são flexíveis, resistentes e garantem excelente conforto num capítulo onde os franceses raramente desiludem. Foi possível poupar 3 cm extra de espaço para os joelhos e diminuir 1 kg ao peso de cada banco, em relação aos bancos convencionais em plástico.

Os bancos possuem ainda ventilação, aquecimento e massagem. Consoante as versões, é possível regular os bancos eletricamente em 8 pontos, havendo 10 disponíveis. Para além de permitirem gravar até 6 perfis individuais. No desenvolvimento dos apoios de cabeça, a Renault inspirou-se nos bancos da classe executiva dos aviões.

Renault Talisman-25-2

Ainda no capítulo do conforto, as janelas frontais e laterais estão equipadas com um isolamento acústico superior. A Renault recorreu também a um sistema composto por três microfones que anula o som exterior, tecnologia fornecida pelo parceiro BOSE e que também encontramos nos melhores auscultadores.

No tablier estão dois excelentes cartão de visita: o quadrante é totalmente digital e ao centro do tablier está um ecrã que pode ter até 8,5 polegadas, onde podemos controlar praticamente tudo, desde o sistema de infoentretenimento até aos sistemas de ajuda à condução.

Sistema Multi-Sense

O Sistema Multi-Sense está presente no novo Renault Talisman e já não é uma novidade, tendo sido na Renault Espace que a marca francesa o lançou. Através de um toque podemos alternar entre 5 configurações: Neutral, Comfort, Eco, Sport e Perso – nesta última podemos parametrizar uma a uma as 10 diferentes configurações possíveis e gravá-las a nosso gosto. Está disponível em todos os níveis do Renault Talisman, com ou sem sistema 4Control.

Renault Talisman-24-2

Alternar entre os diferentes modos do Multi-Sense influencia no acerto da suspensão, iluminação interior e formato do quadrante, som do motor, assistência da direção, ar condicionado, etc.

Sistema 4Control é a cereja no topo do bolo

O sistema 4Control, não sendo uma novidade, garante ao Renault Talisman um acréscimo notável da segurança na condução, para além de tornar aquela estrada muito mais interessante. Até aos 60 km/h o sistema 4Control obriga as rodas traseiras a virar no sentido contrário ao das rodas da frente, provocando uma melhor inserção do carro nas curvas mais exigentes e maior maneabilidade na cidade.

Acima dos 60 km/h o sistema 4Control faz com que as rodas traseiras acompanhem as rodas dianteiras, virando na mesma direção. Este comportamento melhor a estabilidade do carro a maior velocidade. Tivemos a oportunidade de testar no Circuito de Mugello as diferenças entre um Renault Talisman sem o sistema e outro com o sistema instalado, são mais do que evidentes as vantagens. No nível de equipamento Initiale Paris este sistema estará disponível de série, como opcional poderá custar um pouco mais de 1500 euros.

Renault Talisman-6-2

Motorizações

Com potências entre os 110 e os 200 cv, o Renault Talisman apresenta-se ao mercado com 3 motores: um motor a gasolina e dois motores diesel.

Do lado das motorizações a gasolina está o motor 1.6 TCe de 4 cilindros acoplado a uma caixa automática de dupla embraiagem com 7 velocidades (EDC7), com potências entre os 150 (9.6s 0-100 km/h e 215 km/h) e os 200 cv (7.6s 0-100 km/h e 237 km/h).

Já nos diesel os trabalhos ficam a entregues a dois motores de 4 cilindros: um 1.5 dCi ECO2 com 110 cv, 4 cilindros e acoplado a um caixa manual de 6 velocidades (11.9s 0-100 km/h e 190 km/h); e a um motor 1.6 dCi com 130 (10,4s e 205 km/h) e 160 cv bi-turbo acoplado a uma caixa EDC6 (9.4s e 215 km/h).

Ao volante

Agora voltamos ao momento em que entrei no carro, peço desculpa por este “passeio” pela ficha técnica, mas faz parte da minha vida pregar-vos estas secas.

Nas versões que tive a oportunidade de testar, com o nível de equipamento Initiale Paris com jantes de 19 polegadas, o Renault Talisman conseguiu sempre entregar aquele conforto que esperava de uma berlina do segmento D.

Renault Talisman-37

Já o sistema 4Control, um bem que ficou para trás do divórcio com o Laguna, foi um precioso aliado nas curvas e contra curvas da região da Toscana, impedindo umas incursões pelas vinhas que ladeavam a estrada. Para ajudar a melhorar o comportamento dinâmico, o Renault Talisman conta também com suspensão controlada eletronicamente que analisa 100 vezes por segundo a estrada.

As caixas de dupla embraiagem disponíveis (EDC6 e EDC7) cumprem com a sua função em pleno e proporcionam a suavidade que se quer nestes produtos – mesmo em andamento vivo, não desilude. O Renault Talisman deixa-nos aquela sensação de estarmos a conduzir um automóvel de excelente qualidade, não fosse este um produto que recebeu o maior dos cuidados, tendo contado com o apoio da Daimler ao nível do controlo de qualidade.

Renault Talisman-58

Resumo

Do pouco que vimos no Renault Talisman gostámos. O interior apresenta boa montagem e excelente qualidade geral (talvez tenha uns plásticos menos nobres em zonas onde “o diabo perdeu as botas”, o que é preocupante se tiveres por hábito ir à procura delas). No geral os motores assentam que nem uma luva ao mercado português e os frotistas podem esperar um produto de entrada muito competitivo: o 1.5 dCi de 110 cv anuncia consumos de 3.6 l/100 km e 95 g/km de CO2.

O Renault Talisman chega ao mercado nacional no primeiro trimestre de 2016. Não havendo ainda preços oficiais para Portugal, podemos esperar um preço a rondar os 32 mil euros para a versão de entrada diesel. A meteorologia engana-se muitas vezes, mas a Renault, ao que parece, pode ter acertado em cheio.

Ficha técnica

Imagens: Renault

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto