BMW Brutus: o nome diz tudo

Numa época em que a marca de Munique ainda se dedicava maioritariamente à indústria aeronáutica, criou-se uma besta. Meio avião, meio automóvel: o BMW Brutus.

O BMW Brutus Experimentalfahrzeug (em português: veículo experimental) foi um modelo desenvolvido pela marca de Munique com base em premissas que hoje seriam impensáveis.

A BMW pegou no chassi de um American-LaFrance, um carro de corrida de 1908, e equipou-o com um motor de avião, igual a tantos outros produzidos pela marca para equipar os aviões da Primeira Guerra Mundial. A tração era enviada para as rodas traseiras através de correias metálicas e a suspensão fazia inveja a… uma carroça!

RELACIONADO: Uma outra besta. Não de Munique mas de Turim…

Mas o mais impressionante no BMW Brutus era mesmo o motor: 12 cilindros e 46.000cc de capacidade, que conseguia desenvolver quase 500cv de potência às 1500rpm – 493cv para ser mais exato. E o que dizer dos consumos? 1000 litros aos 100km e 28.000 g/km de CO², o equivalente a mais de 300 unidades do novo Opel Astra 1.6 CDTI.

Tudo isto rematado com um visual assustador e um barulho ensurdecedor. Uma besta, este BMW Brutus:

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Clássicos