Aos super-heróis das estradas, mais cortesia por favor.

No Dia Mundial do Trânsito e da Cortesia ao Volante elegemos alguns condutores que agem como «super-heróis» na estrada. Como qualquer super-herói têm de ter um nome e estes precisam de uma lição de cortesia.

Há várias cenas menos agradáveis que me recordo de ver no trânsito, como certamente vocês que andam na estrada, sejam condutores ou passageiros, também se recordam.

Sem qualquer tipo de ordem de importância e num exercício fantasioso, aqui segue uma lista de «super-heróis» que vemos todos os dias nas estradas. Conhecem mais alguns? Partilhem connosco.

O Super-Buzinas
Onde: em qualquer lado onde haja um semáforo

Carros parados num semáforo, “abre” o verde. Há sempre aquele condutor que automaticamente buzina. É capaz de buzinar como se uma espécie de vidente se tratasse, milésimos de segundo antes da nossa visão ser capaz de processar a diferença entre o vermelho e o verde, mais rápidos do que a própria luz. Ele é o Super-Buzinas e diz quem viu que mesmo estando sozinho no semáforo…buzina.

O Indeciso
Onde: em qualquer estrada onde se tenham de tomar decisões, ou seja, todas.

A indecisão é uma coisa séria longe de mim desvalorizar, principalmente quando provoca acidentes. Se ela se manifesta ao ponto de não conseguirem optar pela direita ou esquerda, então não devem conduzir. Pisca para a direita, virar à direita; pisca para a esquerda, virar à esquerda. É simples! Ah! E “quatro piscas” não significa “vale tudo”, ok?

O Dono Disto Tudo (o da estrada)
Onde: basta haver uma estrada

Piscas? “Eu só pisco o olho às mulheres que vão no passeio”, ou para não me acusarem de machismo, “Eu só pisco o olho aos homens que vão no passeio”. Há um tipo de condutor que é contra o uso de sinais e muda de direção sempre lhe apetece, há mesmo uma espécie de seita que se reúne pelas estradas nacionais só para mostrar que são donos de tudo. Quando o Dono Disto Tudo faz fusão com o Super Buzinas, temos o super-herói quase perfeito.

O Faroleiro
Onde: em qualquer estrada. Trabalho nocturno e esporádicamente diurno, sempre que visível/possível

Quem achava ser uma profissão em extinção, estava enganado. O Faroleiro segue viagem e apanha-nos pela dianteira ou pela traseira, num ataque silencioso mas persistente. Atrás de nós segue com os faróis ao alto, apontados à nossa cabeça, seja porque leva a mala carregada ou mesmo uma sogra que come bolachas a mais no banco de trás. Também pode surgir pela frente e com os máximos ligados, para vermos melhor o caminho, claro. Ocasionalmente provoca danos colaterais, nessa tarefa que é iluminar o mundo.

VEJAM TAMBÉM: Que carros “normais” usariam os super-heróis? Nós escolhemos.

O Perseguidor
Onde: na nossa traseira, a milímetros de distância

Num misto entre uma cena de perseguição “à James Bond” e um anúncio barato de uma marca de super-cola, o Perseguidor fica colado à nossa traseira sem bater, mas a ameaçar bater (é uma técnica que está apenas ao alcance de alguns escolhidos, diz-se que são nomeados num conselho de especialistas onde tem palavra decisiva o super-buzinas). Há quem afirme que descola com um toque no travão, mas não é aconselhável, porque pode correr mal e deixar marca.

“O Azelha da Faixa do Meio”
Onde: em qualquer estrada que tenha mais do que duas vias

Foram milhares os portugueses que identificaram connosco esta personagem, revelada aqui na Razão Automóvel. Teve direito a um artigo e tudo. Eles andam aí, os donos das vias centrais. Há quem afirme que apresentam escrituras a comprovar que são os seus legítimos proprietários. Uma coisa é certa: são uma epidemia nacional de cura difícil.

O Protetor
Onde: numa fila de trânsito

Trava batalhas de proporções épicas entre o direito daquele que quer entrar ou mudar de via e o Protetor, que defende o espaço que lhe pertence com forças sobrenaturais. Os que já assistiram a estes duelos garantem que o Protetor se transforma em Perseguidor após uma batalha perdida.

O Conquistador
Onde: numa fila de trânsito e às vezes nos parques de estacionamento. Arqui-inimigo do Protetor

O Conquistador vive numa batalha constante, entre o espaço disponível e a possibilidade de mudar de via. Ele vai ocupar aquele espaço, mesmo que não exista, entre o vosso carro e o próximo. São persistentes, imprevisíveis e ocasionalmente provocam acidentes.

Na estrada há heróis. São aqueles que contribuem para a segurança e respeito de todos os outros condutores, super-heróis só mesmo nos filmes.

Esta crónica só pode ser lida por heróis com sentido de humor, para os outros vai auto-destruir-se em 10 segundos.

Não deixe de nos seguir no Facebook e Instagram

Mais artigos em Crónicas

Os mais vistos

Pub