O recall do Porsche 918 Spyder que podia virar um pesadelo

O problema já foi solucionado em todas as 45 unidades já vendidas, mas custou à Porsche cerca de 1 milhão de euros em toda a operação de recall.

O departamento de controlo de qualidade da Porsche parece não ter descanso. Depois dos problemas nos pernos defeituosos nas bielas do 911 GT3, que levaram a um recall sem precedentes na marca – com total substituição do motor – o Porsche 918 Spyder também não escapou a um amaldiçoado recall.

Um possível defeito nos braços de suspensão traseiros do Porsche 918 Spyder levou ao recall das 45 unidades já entregues, do mais recente supercarro da marca de Estugarda.

O que podia ter sido um pesadelo começou a 26 de Junho de 2014, durante os testes do Porsche 918 Spyder, no circuito de Nardo, em Itália. Ao que tudo indica, neste circuito onde é possível realizar testes a alta velocidade, um dos braços de suspensão traseiros (tanto da secção longitudinal como transversal) não aguentou as condições de stress mecânico impostas pela condução em pista, levando ao colapso dos tirantes de suspensão.

As peças foram enviadas para análise para determinar as possíveis causas de tamanha falha, e que pode resultar, em última instância, na perda de controlo do Porsche 918 Spyder, pondo assim em causa a segurança do veículo e dos seus ocupantes.

918 rear susp

Segundo a perícia laboratorial emitida a 18 de Julho, o defeito estrutural dos braços de suspensão implica a sua substituição, algo a que a Porsche prontamente reagiu emitindo uma ordem de suspensão de vendas. Os proprietários das 45 unidades do Porsche 918 Spyder já entregues, foram informados de que os modelos deverão ser apresentados o mais rapidamente possível nos centros Porsche para posterior inspecção e substituição das peças, se necessário.

Mais artigos em Notícias