A Porsche revelou a origem dos incêndios nos 911 GT3

Depois da suspensão das vendas do Porsche 911 (991) GT3, o responsável de Comunicação da Porsche, Tim Twork, revelou oficialmente o problema que estava na origem dos incêndios do 911 GT3.

Face ao 911 Carrera S, a Porsche introduziu diversas melhorias e afinações no bloco 3.8, alterações estas na qual se incluiu uma nova cabeça do motor, mas as alterações não se ficaram por aí. Todos os sistemas de lubrificação e arrefecimento foram revistos, assim como os próprios internos do bloco 3.8, tudo isto para que o 911 GT3 tivesse o bloco flat-six atmosférico mais explosivo de sempre.

2014_porsche_911_gt3_28_1024x768

Segundo a revelação pública de Tim Twork, o que verdadeiramente elevou o 911 GT3 à categoria de “explosivo”, foram os pernos defeituosos das bielas. Estes pernos roscados, que unem a cabeça da biela ao corpo da biela, e permitem a sua fixação à cambota, estão na origem das falhas.

Imagem meramente ilustrativa.
Imagem meramente ilustrativa.

Ao que tudo indica, um defeito estrutural nos pernos, levou a que se pudessem soltar, causando falhas catastróficas no bloco 3.8 do 911 GT3, ao ponto de criar fissuras no bloco, drenando assim óleo a ferver para os colectores de escape.

Esta causa leva-nos ao FlashPoint do óleo usado no Porsche 911 GT3, que é de 230°, ou seja, temperatura a partir da qual o óleo se degrada e vaporiza, dando origem à separação das suas moléculas constituintes. Uma vez neste estado, torna-se inflamável em contacto com pontos de ignição, causando assim os fogos de proporções épicas a que assistimos nos 911 GT3. De relembrar também, que cerca de 100° acima da temperatura de FlashPoint, o mesmo óleo torna-se auto inflamável, duplicando assim o efeito dos incêndios catastróficos.

Porsche1

Segundo a Porsche, os pernos roscados que unem as bielas serão revistos e todos os internos do motor passarão por controlos elevados de qualidade, para que o problema fique sanado. Entretanto, todas as 785 unidades já vendidas do 911 GT3 irão receber um motor rigorosamente novo, já com os novos componentes revistos, assim como todas as futuras unidades a serem produzidas.

A Porsche avançou ainda, que assim que os novos motores entrarem em produção e chegarem às oficinas, a operação levará apenas a 1 dia.

Um final feliz para todos os proprietários dos novos 911 GT3, que vêm o problema resolvido, por parte de uma marca que sempre nos habitou a altíssimos padrões de qualidade e construção.

porsche-911-991-3d-cutaway-for-GT3-carsguns-com

Fonte: Porsche

Mais artigos em Notícias