Revelados e fantásticos: Nissan IDx Freeflow e IDx Nismo

A Nissan a ser o foco do salão de Tóquio, graças à estreia in loco dos Nissan IDx Freeflow e o IDx Nismo. A resposta retro futurista e surpreendente ao Toyota GT86.

Fui induzido em erro. Quando a Nissan anunciou que apresentaria uma resposta ao Toyota GT86, o tal carro para crises de meia idade, após a apresentação do eléctrico, futurista e deltóide Nissan BladeGlider, meio mundo assumiu, incluindo eu, que o radical concept seria o rival (bem mais) alternativo ao Toyota GT86. Dado o anúncio de que o BladeGlider será produzido e posicionado abaixo do Nissan 370Z, seria uma resposta pouco convencional, bizarra até, por parte da Nissan, para rivalizar e superiorizar-se à dinâmica e experiência de condução providenciada pelo GT86. Ahhh, como estávamos enganados. A Nissan ainda tinha uma carta na manga…

nissan-idx-freeflow-25-1

Felizmente o mundo automóvel ainda é capaz de surpreender, e a Nissan, este ano, tem sido fértil nas surpresas! Tivemos de esperar pela abertura do Salão de Tóquio para conhecer o Nissan IDx Freeflow e o Nissan IDx Nismo. Tratam-se de dois coupés com tracção traseira, a prometerem o ponto de acesso aos desportivos da marca. Marcados por uma estética retro futurista, a musa neste caso, trata-se do Datsun 510, sobretudo na mais desejada e emblemática variante de todas, a BRE (Brock Racing Enterprises), que vingou nos circuitos americanos nos anos 70.

BRE-Datsun-510

Esta interpretação retro futurista do Datsun 510 resulta, curiosamente, de uma colaboração mais estreita entre a Nissan e o que a marca apelida de nativos digitais, traduzindo, jovens nascidos após 1990, já completamente imersos no mundo digital desde tenra idade e uma das principais preocupações da generalidade dos construtores, dado o interesse decrescente desta geração no mundo automóvel.

A estética retro resultante acaba por estranhar, dado a faixa etária dos intervenientes (o 510 nasce ainda nos anos 60). Mas não nos esqueçamos que também estamos a lidar com a geração Playstation, que, imagino, não deve ter visto a luz do sol dias a fio, a jogar GranTurismo, tomando conhecimento e contacto, através do jogo, com uma série de máquinas icónicas e históricas.

nissan-idx-freeflow-10-1

Perceptível do 510 em ambos os Nissan IDx é a silhueta clássica de 3 volumes bem distintos, proporções gerais, superfícies planas e transições abruptas, bem vincadas, entre os planos verticais e horizontais da carroçaria. As dimensões são bastante compactas, com apenas 4.1m de comprimento, por 1.7m de largura e apenas 1.3m de altura. O tratamento dado aos elementos que se espalham pela carroçaria também evocam o Datsun 510, mas são reinterprados de forma verdadeiramente contemporânea, usufruindo das possibilidades tecnológicas actuais e seguindo as últimas tendências estéticas, notando-se em aspectos como o tecto “flutuante”.

nissan-idx-freeflow-08-1nissan-idx-freeflow-09-1

O Nissan IDx Freeflow apresenta uma abordagem mais contida, relaxante, até mais elegante. Acaba por ser o que mais se aproxima visualmente do Datsun 510, observando-se até na cor escolhida para o exterior, definitivamente muito anos 70. O interior tipo “lounge”, mais clássico e com pormenores deliciosos como ganga a servir de revestimento dos assentos conjuga-se perfeitamente com o seu carácter mais nostálgico.

nissan-idx-freeflow-15-1

O Nissan IDx Nismo é agressividade pura, com a adição de uma série de adereços que revelam bem o propósito da máquina. Os 10cm extra de largura e rodas mais generosas, de 19 polegadas, dão-lhe uma pose bastante mais GRRRRR. A reinterpretação de vários elementos, diferenciando-o do IDx Freeflow, como as ópticas e a adição de outros elementos, como os escapes de saída lateral ou o aparato aerodinâmico nas extremidades do aguerrido coupé, convidam claramente a uma atitude “faca nos dentes” quando chegar a altura de levá-lo para o nosso pedaço de asfalto favorito.

nissan-idx-nismo-10-1nissan-idx-nismo-11-1nissan-idx-nismo-19-1

O interior também é marcado por um tratamento distinto, com o vermelho e o preto a serem as cores da praxe, assim como a alcantara e o carbono a darem o toque racing. Os dois mostradores circulares, tradicionalmente analógicos, integram-se perfeitamente nas intenções deste concept.

nissan-idx-nismo-25-1

A motivá-los temos motorizações já conhecidas. O IDx Nismo partilha o mesmo 1.6 DIG-T com o Nissan Juke Nismo, o que deverá equivaler a duas centenas de cavalos. O IDx Freeflow é anunciado com a possibilidade de receber duas motorizações, um 1.2 e um 1.5. Em ambos os casos a transmissão é feita por uma caixa CVT… espera aí… Uma CVT?! A sério? Mas porquê, Nissan?!

Se o Toyota GT86 é considerado pela Nissan como um carro para crises de meia idade, a marca espera atingir com o retro-futurista IDx um público alvo mais jovem, abaixo dos 30 anos. Para isso, prevê preços mais acessíveis que os praticados pelo seu rival. Mas é pura especulação. A Nissan para já não confirma a produção do IDx, apenas afirmando que está a avaliar a reacção ao mesmo. A viabilidade industrial destes concepts ainda parece distante, mas também se dizia a mesma coisa do Qazana que originaria o Juke.

nissan-idx-nismo-12-1

O que é certo, é que os dois Nissan IDx foram as surpresas e uma das estrelas maiores do salão de Tóquio. Esperemos que não se fiquem pelo carácter conceptual e encontrem o caminho para a linha de produção mais próxima. Cheios de personalidade, distintos de qualquer hipotético rival, apelativos, acessíveis e com a ajuda da tracção traseira para uma dinâmica e experiência de condução viciante, é mesmo o tipo de criaturas sobre rodas que qualquer entusiasta procura e esperemos, consiga cativar nova geração de entusiastas. A Nissan a cobrir um largo espectro do mercado de automóveis desportivos: desde o Godzilla GT-R Nismo, sempre demolidor, ao fascinante e bizarro BladeGlider, e atacando agora o lado mais acessível da questão. Fica o desejo de que sejam produzidos.

Mas esqueçam a CVT, por favor!

nissan-idx-freeflow-26-1

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos