LaFerrari de pulso: Hublot MP-05

Se o novo Ferrari é bom o suficiente para ser “O” Ferrari, então também será bom o suficiente para encarnar na forma de um relógio. A Hublot, reconhecida casa de alta relojoaria suíça, aliou-se à Ferrari para desenvolver um relógio que combinasse com o novo porta-bandeira da casa de Maranello, o LaFerrari.

Depois dos automóveis, a alta relojoaria é possivelmente a melhor montra para expor feitos de engenharia. Desde simples calendários até ciclos lunares, existem relógios com funções para todos os gostos, e mecanismos também. Um dos mecanismos mais complexos é o turbilhão, um mecanismo que tem por base uma mola que permite o funcionamento continuo do relógio. Dito assim até parece simples, mas não é. E este relógio tem 11 (um a menos do que os cilindros do LaFerrari).

Tal como o Cavallino, o Hablot MP-05 utiliza materiais a era pós-espacial. Alumínio preto anodizado e titânio PVD (algo que é produzido recorrendo a uma chama de plasma em vácuo). E estes são só dois dos materiais utilizados para produzir as 637 peças que compõem esta obra prima da relojoaria. O material menos exótico é a borracha que compõe a bracelete, no entanto não deixa de ser um dos materiais mais importantes num automóvel e por isso, a Hublot está desculpada.

Tal como o motor de um LaFerrari, também todo o “coração” deste relógio está orgulhosamente exposto debaixo de um vidro de safira. Os cilindros que se vêm no centro do relógio são os turbilhões, que armazenam energia suficiente para 50 dias. Esgotada a energia armazenada, o felizardo dono utiliza uma chave semelhante a um berbequim pneumático, especialmente desenvolvida para dar corda – e também para acertar as horas – também inspirado no universo Ferrari.

Só há 50 unidades, todas elas devidamente numeradas. O preço combina também com a fonte da inspiração, cerca de 260 000 euros, sensivelmente o mesmo valor de um 458 Italia Spider.

Mais artigos em Notícias