Desde 28 900 euros

Nissan Juke 1.6 DIG-T NISMO: um concentrado de emoções

A marca nipónica tem feito do Nissan Juke o espelho da sua irreverência. Das várias versões especiais deste pequeno SUV, esta é a mais desportiva: conheçam o Nissan Juke 1.6 DIG-T NISMO.

O Nissan Juke é um daqueles automóveis que têm o dom de extremar a opinião dos consumidores: ou se ama ou se odeia. Enquanto há automóveis que apostam tudo na unanimidade, o Nissan Juke faz da irreverência o seu cartão-de-visita. Nesta versão Nismo – acrónimo de Nissan Motorsport – a irreverência é ainda maior, fruto das várias alterações que o departamento desportivo da Nissan operou no Juke. Portanto, como manda a tradição numa versão desportiva, a soberba visual está garantida.

A quantidade de olhares indiscretos que o Nissan Juke Nismo recebe à sua passagem indica-nos que a missão foi plenamente cumprida. O Juke Nismo causa impacto, seja pelas enormes jantes de 18 polegadas, pelos pára-choques mais desportivos com apontamentos a vermelho ou até pelo manifesto orgulho com que o Juke ostenta o nome Nismo um pouco por toda a carroçaria.

Nissan Juke Nismo

Já instalados no lugar do condutor somos brindados com um interior que transpira performance. Os bancos são fantásticos, tanto em termos ergonómicos – proporcionam um excelente apoio – como em termos visuais graças aos acabamentos em alcântara, que se estendem ao volante.

Já perfeitamente instalados, em menos de nada sentimos que estamos em «casa», prontos para iniciar os procedimentos de arranque. Com a promessa de que lá na frente habitam 200 fogosos cavalos de potência providenciados pelo motor 1.6 DIG-T Turbo – a mesma unidade que equipa o Renault Clio RS 200 EDC – a vontade de arrancar e dar rédea solta ao Juke Nismo é mais que muita. Com 200cv de potência e 250Nm de binário máximo o nosso Juke cumpre os 0-100km/h em apenas 7.8 segundos, numa correria que só termina para lá dos 200km/h (216km/h para ser mais preciso). Todo este ímpeto chega às rodas dianteiras por intermédio de uma caixa de 6 velocidades muito bem escalonada e com excelente tato.

Nissan Juke Nismo interior

Chegados à primeira curva somos surpreendidos pela contenção da carroçaria nas transferências de massas. Embora o Juke Nismo tenha um centro gravítico elevado, o acerto da suspensão revelou-se correcto e capaz até de proporcionar algum conforto. É claro que não é tão acutilante como por exemplo o Renault Clio EDC 200 RS. Em curvas mais exigentes o Juke precisa de trajectórias mais largas para manter a mesma velocidade, logo perde tempo. Mas em compensação é mais divertido.

Apanhando o momento certo de transição das massas de uma curva para outra é mais fácil praticar uma condução «acrobática» no Juke Nismo do que no Renaul Clio. O condutor agradece e o nosso ego também.

Quem fica de rastos é a nossa carteira. Em ritmos para lá do normal é fácil chegar a consumos de 13l/100km. Em ritmo despreocupado e com alguns arranques à mistura o pequeno bloco 1.6 turbinado até consegue fazer médias menos escandalosas, em torno dos 8.1 l/100km. Já com muito cuidado, e correndo o risco de adormecer ao volante alcançámos uma média de 7.1 l/100km.

Em suma, este Nissan Juke 1.6 DIG-T NISMO oferece-nos tudo aquilo que a gama Juke já nos habituou, mas com mais uns extras muito bem-vindos: a potência vibrante do motor DIG-T e um comportamento dinâmico que incita em cada curva à tortura e à queima impulsiva de borracha. Se gostarem do design do Juke e os consumos não forem um problema, têm aqui uma excelente opção.

MOTOR 4 Cilindros
CILINDRADA 1618 cc
TRANSMISSÃO MANUAL, 6 Vel.
TRAÇÃO Dianteira
PESO 1295 kg.
POTÊNCIA 200 CV / 6000 rpm
BINÁRIO 250 NM / 1750 rpm
0-100 KM/H 7,8 seg.
VEL. MÁXIMA 216 km/h
CONSUMO 7,1 lt./ 100 km
PREÇO 28.900€

Ficha técnica

Classificação Euro NCAP: N/D

Mais artigos em Testes, Ensaio