Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Porsche produziu o Cayenne número 500.000

A Porsche comemorou recentemente a produção do 500.000º Cayenne, SUV produzido na fábrica de Leipzig, na Alemanha. Passaram-se mais de 12 anos desde que o primeiro Cayenne rolou da linha de produção, quase sempre sob alvo de críticas.

Conquistou-nos aos poucos e os números falam por si. No princípio eram produzidas apenas 70 unidades por dia. Hoje a produção é cinco vezes superior, devido à alta procura deste modelo no mercado.

Só no ano passado, foram vendidos mais de 83 mil Cayenne a clientes espalhados por mais de 125 países. “Uma verdadeira história de sucesso da fábrica Porsche na Saxônia” , disse Oliver Blume, Director de Produção e Logística da Porsche. O 500.000º Porsche Cayenne, faz parte da segunda geração e foi entregue na sexta-feira passada ao seu novo proprietário, na fábrica de Leipzig.

Relembramos que no mês passado, a fábrica de Leipzig produziu o seu carro nº 500.000 e também foi um Porsche Cayenne, mas desta vez uma versão cujo futuro passará pelo serviço à comunidade. Um Porsche Cayenne para a frota dos bombeiros de Leipzig.

porsche-cayene-carro-dos-bombeiros-fire-truck-500000

A Porsche diz que cerca de 2.500 clientes por ano vão até à fábrica levantar seu novo Porsche, tendo a oportunidade de o levar ao limite no circuito certificado pela FIA ou no caso do Cayenne, conduzi-lo numa pista off-road sempre devidamente acompanhados. Foi exactamente isso que o dono do 500.000º Cayenne fez. Um senhor austríaco encomendou um Cayenne S Diesel branco, um SUV com um motor V8 de 4,2 litros capaz de debitar 377cv.

É o Cayenne diesel mais potente da gama, este capaz de atingir os 100 km/h em 5,7 segundos e uma velocidade máxima de 252 km/h. Em termos de consumos o Cayenne Diesel S é até bem poupado, uma vez que consome apenas 8.3 l/100Km. Uma boa aposta no segmento.

Texto: Marco Nunes

Mais artigos em Notícias