Grupo B

Alfa Romeo Alfasud Sprint 6C. O «monstro» de ralis que o mundo nunca conheceu

Mais um modelo que tinha tudo para criar uma legião de aficionados mas que foi traído pela extinção do Grupo B.

Hoje damos-vos a conhecer um carro que poucos conhecem, o Alfa Romeo Alfasud Sprint 6C. Um modelo que hoje devia estar a descansar no «Olimpo da Antigas Glórias dos Ralis» juntamente com o Audi Quattro, Lancia Delta S4, Peugeot 205 T16, Toyota Celica ST185, Subaru Impreza WRC, entre tantos outros. Infelizmente o Alfa Romeo não teve essa honra, porque não chegou a nascer…

O Grupo B foi extinto antes deste belo Alfa Romeo Alfasud Sprint 6C conhecer a aspereza do alcatrão e as adversidades da lama, gravilha e neve.

Reza a lenda que apenas um protótipo do Alfasud Sprint 6C viu a luz do dia (nas fotos). Mas até este exemplar a marca italiana aparenta ter vergonha de mostrar. Há muito poucas fotos disponíveis. Talvez a marca italiana não se perdoe por não ter iniciado o desenvolvimento do Alfasud Sprint 6C mais cedo e o esconda com vergonha.

Alfa Romeo Alfasud Sprint 6C
É lindo, não é?

Tudo começou no ano de 1982, ano em que a administração da Alfa Romeo decidiu entrar no mundial de ralis. Boa decisão rapazes! A aposta da marca italiana era criar algo verdadeiramente notável. Para isso entregou o desenvolvimento do carro à «prata da casa», a Autodelta. O equivalente à Abarth da Fiat ou à AMG da Mercedes-Benz.

O modelo que serviu de ponto de partida para o carro de rali foi o compacto Alfasud. Mas foi mesmo só o ponto de partida, porque tudo o resto era novo.

alfa romeo Alfasud Sprint 6C motor

Com destaque para a nova colocação do motor que abandonou a dianteira e encontrou um novo lar mesmo no centro do chassi. Motor esse que não seria o mesmo da versão “normal”. A unidade motriz de quatro cilindros «boxer» do modelo de série foi trocada por uma motorização de seis cilindros em V bem mais «espigada». Exatamente o mesmo motor que encontrávamos no Alfa 6 e mais tarde no GTV 6.

Entretanto, em 1986, os planos da marca sofrem um rude golpe: a Federação Internacional de Automobilismo decide acabar com os Grupo B e a Alfa Romeo fica com um carro «nos braços» mas sem competição onde o colocar a correr. Dizia-se na altura que os Grupo B que eram demasiado potentes, demasiado rápidos e demasiado extremos. Tudo verdade.

E que bem teria ficado este Alfa Romeo com uma decoração de rali, bem apropriada à imagem desportiva da marca. Por aqui não conseguimos deixar de imaginar o quão épico teria sido ver este V6 de tração traseira em ação.

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos