Como funciona um camião dos bombeiros moderno. Todos os detalhes em vídeo

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Especial Razão Automóvel

Como funciona um camião dos bombeiros moderno. Todos os detalhes em vídeo

Neste especial Razão Automóvel vamos conhecer, ao detalhe, um veículo florestal de combate a incêndios (VFCI) dos bombeiros portugueses.

Depois do teste ao Nissan GT-R da Guarda Nacional Republicana e do BMW i8 da Polícia de Segurança Pública, a «missão» da Razão Automóvel com veículos que salvam vidas conhece um novo capítulo.

Desta vez fomos conhecer uma das principais armas de salvaguarda de pessoas e bens, ao serviço dos bombeiros portugueses: um veículo florestal de combate a incêndios (VFCI) de última geração.

A convite do Bombeiros Voluntários do Cadaval, testámos todas as potencialidades de um camião Renault D14 4X4 transformado em VFCI por uma empresa portuguesa.

Teste completo em vídeo:

A evolução do veículo florestal de combate a incêndios

Durante um dia, além de termos comprovado a capacidade de combate de um VFCI moderno, ainda tivemos oportunidade de fazer uma viagem no tempo e testar um VFCI com mais de 30 anos.

Guilherme Costa no camião bombeiros
Equipado e pronto para a ação. © Razão Automóvel

As diferenças que encontrámos entre os dois VFCI são maiores do que os 30 anos que os separam.

Conforto, segurança e capacidade de trabalho. A evolução do veículo florestal de combate a incêndios nas últimas décadas é impressionante.

Juntámos os dois VFCI numa queima — preparada pela Proteção Civil com o apoio da Sociedade Agrícola Quintas de Cadaval — e pese embora o VFCI mais antigo cumpra a sua missão, a forma como o faz é diferente.

A inexistência de arco de proteção em caso de capotamento, a menor facilidade de progressão em terrenos com pouca tração e a falta de conforto oferecido pelo conjunto cabine/suspensões dificulta a vida à equipa de bombeiros.

Segurança em primeiro lugar

Para a simulação de incêndio desta reportagem, a Razão Automóvel aproveitou uma queima real, autorizada pela Proteção Civil e demais entidades competentes.

A queima dizia respeito a árvores de fruto contaminadas, cuja queima era inevitável e recomendada.

Apesar de tratar-se de uma simulação de incêndio, foram respeitados todos os procedimentos para assegurar a segurança de todas as pessoas e meios mobilizados.

VFCI e bombeiros em ação © Razão Automóvel
Bombeiros a extinguir fogo © Razão Automóvel

Mais do que um teste a um veículo

Entendemos que a missão da Razão Automóvel, na qualidade de orgão de comunicação social da especialidade, não cessa na produção de notícias, testes e conteúdos dedicados ao comércio e indústria automóvel.

É por isso que nas nossas reportagens — apesar do foco inquestionável nos veículos — vamos sempre mais longe. Foi assim com o Nissan GT-R da Guarda Nacional Republicana, com o BMW i8 da Polícia de Segurança Pública e com tantas outras notícias e conteúdos publicados diariamente em razaoautomovel.com.

Corpo de Bombeiros do Cadaval © Razão Automóvel

Além de termos conhecido a evolução do veículo florestal de combate a incêndios, fomos mais longe. Tentámos mostrar o lado mais humano e menos mediático da realidade dos homens e mulheres que diariamente arriscam as suas vidas para salvar as nossas. Tentámos fazê-lo da única forma que sabemos: com ética.

Sem explorar tragédias, polémicas do momento ou histórias que pela sua natureza garantem audiência pelos motivos errados. Assim, temos a certeza que a liderança de audiências da Razão Automóvel se concretiza todos os meses, ano após ano, da forma correta: com qualidade, relevância e isenção.

Mais artigos em Notícias