Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Mercado

E o carro mais vendido na Europa em julho foi… o Dacia Sandero

Pela primeira vez desde que foi lançado, em 2008, o Dacia Sandero foi o automóvel mais vendido na Europa no passado mês de julho.

Depois de quatro meses de crescimento, as vendas de carros novos na Europa caíram 24% em julho por comparação com o mesmo período do ano passado, num mês onde o Dacia Sandero foi “rei e senhor”.

No total foram vendidos 967 830 automóveis novos no passado mês de julho (em julho de 2020 tinham sido vendidos 1,27 milhões), de acordo com os dados recolhidos pela JATO Dynamics em 26 mercados europeus.

Para esta queda face ao período homólogo de 2020 muito contribuiu o peso da pandemia de Covid-19, que ainda afeta a confiança dos consumidores, e a escassez global de chips, que tem vindo a afetar os fabricantes e a restringir a produção de automóveis.

A NÃO PERDER: Testámos o Dacia Sandero ECO-G (GPL). Muito mais que um “preço-canhão”
Dacia Sandero ECO-G © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Imune a quase tudo isto, o Dacia Sandero foi o modelo mais vendido na Europa em julho e destronou o Volkswagen Golf, modelo que geralmente lidera os rankings de vendas mensais.

Esta foi a primeira vez que o Sandero alcançou o topo da lista dos carros mais vendidos no velho continente, com 20 446 unidades vendidas. O Golf surge logo abaixo, na segunda posição, com 19 425 exemplares vendidos. O Toyota Yaris fecha o pódio com 18 858 unidades matriculadas em julho.

Apesar do resultado muito positivo do Sandero, cujas vendas cresceram 15% (face a julho de 2020) na Alemanha e 24% na Roménia, o utilitário viu as vendas caírem 2% relativamente ao mesmo período de 2019.

Mas neste capítulo a pior performance foi mesmo do Volkswagen Golf, cujas vendas caíram 37% face a julho de 2020 e 39% face a julho de 2019. Já o Dacia Duster, que foi o oitavo modelo mais vendido em julho deste ano na Europa, registou uma quebra de 19% face a julho de 2020 e de 14% face a julho de 2019.

LEIAM TAMBÉM: Carlos Tavares acredita que a escassez de chips vai continuar em 2022

No que aos mercados diz respeito, em julho a maior quebra nas vendas de automóveis novos na Europa aconteceu em França, que registou uma quebra de 35%. Os mercados do Reino Unido e de Espanha viram as vendas de carros novos caírem 30% e o mercado alemão teve uma quebra de 25%.

Em termos de marcas, a Hyundai (+5,5%) e a Suzuki (+4,7%) estão entre as que ganharam volume na Europa no passado mês de julho. Já a Renault sofreu uma quebra de 54%, a Ford de 46%, a Nissan de 37%, a Peugeot de 34% e a Citroën de 31%. A Volkswagen registou uma descida nas vendas de 19%.

PHEV e elétricos a crescer

As vendas de híbridos plug-in e de elétricos tiveram o melhor julho de sempre na Europa, com um total de 160 646 automóveis vendidos, um registo que representa quase 17% do total de carros novos matriculados no referido mês.

Volkswagen ID.3
Volkswagen ID.3

Com 4247 exemplares vendidos, o Ford Kuga foi o híbrido plug-in mais vendido da Europa em julho, ainda que tenha registado uma quebra de 33% face ao mesmo período de 2020. O Peugeot 3008 (+62% face a julho de 2020) e o Volvo XC40 (-12%) são os modelos que fecham o pódio.

Já nos elétricos, o grande vencedor do mês foi o Volkswagen ID.3, com 5433 unidades matriculadas. O Renault Zoe surge em segundo, com 3976 exemplares vendidos, e o Kia Niro em terceiro (3953).

Mais artigos em Notícias