Ralis

25 anos depois. Recorda a vitória de Rui Madeira no Campeonato do Mundo de Ralis

Neste documentário, Rui Madeira e Nuno Rodrigues da Silva convidam-nos a viajar no tempo. Um regresso a Arganil para recordar um dos capítulos mais bonitos da história do desporto automóvel nacional.

Rui Madeira e Nuno Rodrigues da Silva. Uma dupla de sucesso que à primeira tentativa, surpreendeu tudo e todos ao vencer o Campeonato do Mundo de Ralis de Grupo N (Taça FIA).

Ao volante de um Mitsubishi Lancer Evo pintado com as cores da Galp, Rui Madeira escreveu um dos capítulos mais bonitos da história do automobilismo nacional. Ao seu lado, a ditar o rumo e o ritmo, seguia Nuno Rodrigues da Silva.

Tão competitivo hoje como há 25 anos, Rui Madeira ainda tem na garagem o Mitsubishi Lancer Evo III com que sagrou-se campeão do mundo. Um carro que, apesar da idade, nas mãos do piloto almadense ainda tem ritmo para fazer frente os mais recentes Lancer Evolution EVO VIII e IX que disputam os ralis nacionais.

Constálica Rallye Vouzela 2020. Sexto à geral, e a poucas centésimas de segundo do tempo mais rápido no PEC5. Rui Madeira voou no seu histórico EVO contra carros mais recentes. © Rui Madeira Rally

Mas desta vez, Rui Madeira e Nuno Rodrigues da Silva não tiram o Mitsubishi Lancer Evo III da garagem para colocar questões à concorrência.

O regresso a Arganil, 25 anos depois

Foi para recordar a vitória no Campeonato do Mundo de Ralis Grupo N (Taça FIA) que esta dupla — ou deveria escrever trio? — voltou a tirar o Mitsubishi Lancer EVO III com as cores da Galp (e agora da MEO) da garagem em Almada.

Uma saída que ao contrário do que é habitual, não foi para competir, foi para recordar.

Assiste aqui ao documentário:

25 anos depois, Rui Madeira e Nuno Rodrigues da Silva, voltaram a Arganil e registaram tudo em vídeo, neste documentário assinado por Ricardo Mattozzi. Um regresso que serviu para recordar um dos anos mais importantes das suas carreiras e, também, da história do automobilismo nacional.

Dois homens que quando vestem o fato e entram no Evo III com as cores da Galp, voltam atrás no tempo. A concorrência que o diga. 30 anos depois, Rui Madeira continua a mostrar como se conduz um carro de ralis. A história continua.

 

Mais artigos em Notícias