Comparativo

O que é que o Hyundai i30 N e a KTM RC16 do Miguel Oliveira têm em comum?

A vitória no Grande Prémio da Estíria valeu ao Miguel Oliveira um BMW M4, mas o seu dia-a-dia faz-se ao volante de outro carro. Um carro que tem pelo menos uma característica em comum com a sua KTM RC16.

Nada em comum. Seria a resposta mais óbvia quando tentamos comparar um Hyundai i30 N de produção com um protótipo de MotoGP, como a KTM RC16 de Miguel Oliveira.

Mas há pelo menos uma característica em comum entre o mais desportivo dos Hyundai e uma das motas mais rápidas do Mundial de MotoGP.

Sim, leram bem vamos comparar um dos protótipos mais rápidos e temidos do Mundial de MotoGP que vale milhões, com um carro de produção que custa menos de 45 000 euros.

Hyundai i30 Miguel Oliveira
Miguel Oliveira ao lado do Hyundai i30 N na grelha de partida do Autódromo Internacional do Algarve, circuito onde o piloto luso vai competir pela primeira vez aos comandos de uma MotoGP a 22 de novembro.

Vamos às comparações?

Para quem tem estado menos atento, no espaço de poucos meses a KTM RC16 passou de «mota menos desejada da grelha» — lado a lado com a Aprilia RS-GP — para «mota sensação» da temporada 2020.

KTM RC16 2020
KTM RC16 2020. Duas vitórias em 6 corridas, é o saldo da KTM RC16 nesta temporada.

E que característica é essa? A potência. As marcas envolvidas no Mundial de MotoGP (Honda, Yamaha, Suzuki, Ducati, KTM e Aprilia) não divulgam a potência exata desenvolvida pelos seus motores.

Mas estima-se que a potência das MotoGP atuais — motores a quatro tempos com 1000 cm3 e quatro cilindros — supere os valores anunciados pelas marcas.

A KTM Factory Team anuncia uma potência superior a 265 cv — sem especificar a potência exata.

KTM RC16 2020
Mais um dia no escritório. É assim que Miguel Oliveira passa os GP’s. Joelho e cotovelo no chão, a mais de 200 km/h.

Mas olhando à performance da KTM RC16 2020, este valor pecará por defeito. A potência da KTM RC16 do Miguel Oliveira deverá situar-se nos 275 cv, aproximando-se assim da potência anunciada para outro veículo: o Hyundai i30 N com que Miguel Oliveira faz a sua vida fora das pistas.

Potências iguais, performances diferentes

Apesar da potência debitada pelos motores do Hyundai i30 N e KTM RC16 serem semelhantes, as semelhanças acabam por aqui.

Motor KTM GP1. As imagens do motor da KTM RC16 2020 são escassas (o segredo é a alma do… vocês sabem o resto). Esta imagem diz respeito ao primeiro motor desenvolvido pela KTM para o MotoGP em 2005. O conceito é o mesmo: quatro cilindros em V.

Longe de ser um carro lento — bem pelo contrário… — a aceleração do i30 N está a «anos luz» de um protótipo de MotoGP. O Hyundai i30 N acelera dos 0-100 km/h em 6,4s, enquanto a KTM RC16 cumpre o mesmo exercício em cerca de 2,5s.

Querem ir mais longe? 0-200 km/h!

O Hyundai i30 N cumpre os 0-200 km/h nuns interessantes 23,4s, já a KTM RC16 demora menos de 5,0s. Repito: menos de 5,0s dos 0-200 km/h. Ou seja, é 18 segundos mais rápida.

KTM Miguel Oliveira
Uma MotoGP é capaz de cumprir os 0-300 km/h em apenas 11 segundos.

Velocidade máxima? 251 km/h para o Hyundai i30 N. Relativamente à velocidade máxima da KTM RC16 2020 de Miguel Oliveira, teremos de esperar pelo Grande Prémio de Itália, no circuito de Mugello — que tem a maior e a mais rápida reta do campeonato — para aferir a velocidade máxima do protótipo da máquina austríaca. Mas podemos avançar um valor: mais de 350 km/h.

Na temporada 2018 do Mundial de MotoGP, no GP de Itália, Andrea Dovizioso atingiu os 356,5 km/h aos comandos da Ducati GP18. Foi a velocidade mais elevada alguma vez registada na história do mundial de MotoGP. Será a KTM RC16 capaz de superar este registo?

Este fim-de-semana, em Misano, Miguel Oliveira vai tentar superar as dificuldades que encontrou no último GP, no mesmo circuito.

Mas há um argumento de «peso» para haver uma disparidade de performance tão elevada. Enquanto a KTM RC16 pesa apenas 157 kg, o Hyundai i30 N pesa 1566 kg. É dez vezes mais pesado.

Hyundai Vs BMW. O «roubo» das estrelas

Aqueles que seguem o Miguel Oliveira há mais tempo nas redes sociais, estão habituados a ver o piloto de Almada associado às cores da Hyundai Portugal.

Foi, portanto, algo estranho para alguns ver Miguel Oliveira ao lado de um BMW. Ainda que sem intenção, acabou por ser uma espécie de «vingança» da BMW.

Recordamos que em 2014, a Hyundai «roubou» à BMW um dos seus recursos mais valiosos: Albert Biermann, o engenheiro que durante mais de 20 anos foi responsável pelo desenvolvimento dos modelos M da BMW.

Hyundai i30 N
Para desenvolver uma versão desportiva do i30, a Hyundai contratou Albert Biermann, um dos mais conceituados engenheiros da indústria automóvel.

Hoje Albert Biermann é o responsável máximo do departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Hyundai e o «pai» de todos os modelos N da marca coreana.

A NÃO PERDER: Este é o novo Hyundai i30 N. Primeiras imagens oficiais

Este ano, foi a vez da BMW responder na mesma moeda à Hyundai. Não levaram um engenheiro, mas levaram o Miguel Oliveira a dar uma volta no BMW M4 que brevemente fará companhia ao Hyundai i30 N na sua garagem. Escolhas difíceis…

É isso mesmo. O Miguel Oliveira também segue a Razão Automóvel no Instagram. Força campeão!

Mais artigos em Notícias