Leilão

Nunca houve uma carrinha Maserati… Será mesmo assim?

Criada por um inglês em 2016, esta versão carrinha do Maserati Quattroporte é única e o resultado de muita perserverança e engenho.

Originalmente lançado em 1963, o Maserati Quattroporte — simplesmente quatro portas em italiano — tem sido desde então o porta-estandarte da marca do tridente.

Apesar das inúmeras qualidades, o executivo transalpino nunca foi reconhecido pelo seu espaço habitável ou aptidões familiares — tratando-se de um modelo de luxo, será que precisaria de as ter? —, não contando com qualquer variante carrinha, ou melhor… Cinqueporte. Quer dizer, pelo menos de forma oficial.

Há dez anos a empresa Carrozzeria Touring desenvolveu e produziu quatro unidades do que batizou como Bellagio Fastbacks (imagens abaixo) — no fundo, uma versão carrinha, cheia de estilo, baseada na anterior geração do Quattroporte. Mais recentemente, um fã inglês das Bellagio, decidiu seguir o exemplo, criando o carro de que te falamos hoje.

VÊ TAMBÉM: Alfa Romeo Giulia GT Junior. O novo membro do “clube” dos clássicos eletrificados

 

O Maserati Quattroporte (desculpem, Cinqueporte)

A história do Quattroporte (carrinha) de que te falamos hoje começou depois de o seu proprietário não ter conseguido comprar num leilão em 2013 um dos quatro exemplares das Bellagio Fastbacks.

Ora, em resposta a esta desilusão, este fã do modelo Quattroporte, cujo nome é desconhecido, decidiu informar-se junto de várias empresas conceituadas quanto custaria transformar o modelo numa carrinha. A resposta? Perto de 200 mil libras (cerca de 227 mil euros).

Maserati Quattroporte Shooting Brake
VÊ TAMBÉM: Novo Maserati MC20 faz-nos o “manguito” em novos teasers

Desanimado com estes valores, o proprietário deste Maserati Quattroporte acabou por conhecer Adam Redding, um mecânico que se tem dedicado ao restauro de clássicos e que aceitou o desafio de transformar o quatro portas numa carrinha de cinco portas, e mais importante, por um valor mais em conta.

O resultado final está à vista e, verdade seja dita, é impressionante. O último terço da carroçaria do Quattroporte foi completamente refeito, desde o tejadilho aos painéis laterais. No entanto, o principal destaque é, claro está, o enorme portão traseiro de acionamento elétrico.

Curiosamente, segundo Adam Redding, o portão traseiro foi precisamente um dos maiores desafios impostos pelo projeto que custou mais de 1500 horas de trabalho. Tudo porque fazer comunicar o sistema elétrico do portão da bagageira com os sistemas do Maserati não se revelou tarefa fácil.

Já em termos mecânicos, manteve-se tudo na mesma, e referimos isso com algum sentido de desapontamento. É que este Maserati Quattroporte, rebatizado Cinqueporte como diz o lettering na traseira, não vem equipado com o mais desejado V8 biturbo (fornecido pela Ferrari), nem sequer o V6 biturbo a gasolina.

Trata-se do motor V6 Diesel com 3.0 l e 275 cv com que saiu da fábrica em 2015 — talvez a melhor opção para quem pretenda aproveitar os novos atributos familiares deste Quattroporte, mas não o “coração” ideal para algo que ostenta o símbolo do tridente.

VÊ TAMBÉM: Se o Delta HF Integrale fosse um coupé seria o Lancia Zagato Hyena e este vai a leilão
Maserati Quattroporte Shooting Brake

Está à venda!

É verdade, depois de há cerca de quatro anos ter embarcado numa “epopeia” que resultou no “Cinqueporte”, o proprietário deste modelo único decidiu que era altura de se desfazer dele.

Com apenas 14 024 quilómetros percorridos e registado novamente em 2016 após as alterações de que foi alvo, este Maseratti Quattroporte Shooting Brake está agora à procura de novo dono no site Classic Driver sem qualquer indicação de quanto custa.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Sabes responder a esta?
Em que ano foi lançado o Ferrari 365 GT4 BB?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Fomos enganados. Afinal BB em Ferrari 365 GT4 BB não significa Berlinetta Boxer

Mais artigos em Notícias