Apresentação

Metemos o novo Range Rover Evoque numa piscina. E não só…

A Razão Automóvel esteve na apresentação do novo Range Rover Evoque, em Londres. Testámos o novo SUV inglês num percurso técnico e vimos de perto todos os detalhes.

Em Londres, Reino Unido

Não é um SUV qualquer. O seu design marcou, cativou e fez escola na Land Rover e não só. Falamos do incontornável Range Rover Evoque.

Lançado em 2011, o conhecido modelo inglês conhece agora a sua 2ª geração, após um facelift muito ténue em 2016. É um modelo de extrema importância para a Jaguar Land Rover (JLR) devido ao seu esmagador sucesso comercial: durante seis anos passou a barreira das 100 000 unidades consecutivamente.

Com o novo Range Rover Evoque 2019, a marca inglesa reafirma a sua crença no conceito original mas deu-lhe um aspeto mais moderno e novas tecnologias para enfrentar uma concorrência mais apetrechada que nunca.

Mini Velar ou mais do que isso?

O novo Range Rover Evoque não esconde, nem os ares de família nem tão pouco a sua identidade. Apesar das semelhanças com o Velar, o modelo inglês continua a ter uma personalidade muito própria.

Ao vivo, as suas linhas são ainda mais impactantes. Foi a sensação com que ficámos quando assistimos ao vivo à sua revelação mundial, em Londres.

A frente foi totalmente redesenhada, recebeu uns novos faróis Matrix LED e uma grelha tipicamente Range Rover numa configuração mais larga e estreita para incrementar a percepção de dinamismo. Na lateral, a linha de cintura continua a assumir uma configuração ascendente em contraponto com a linha do tejadilho descendente. Objetivo? Mais uma vez, incrementar a percepção de dinâmico e movimento.

Os puxadores do novo Range Rover Evoque são agora retráteis.

Na traseira, voltamos a encontrar uma reinterpretação mais moderna e apelativa das soluções estilísticas da 1ª geração do Range Rover Evoque, onde destacamos a nova assinatura luminosa.

Em termos de formato da carroçaria a grande novidade é a ausência das versões de três portas do Evoque. As vendas desta versão eram marginais e a marca decidiu colocar um ponto final na sua produção. Quanto à versão cabriolet… devemos aguardar.

Sedutor por fora… e por dentro!

No interior, voltamos e encontrar inspiração no Velar. O avançado sistema de informação e entretenimento Touch Pro Duo com dois ecrãs táteis de alta definição de 10″, é uma solução que volta a fazer escola. O quadrante é agora 100% digital e mede 12,3 polegadas.

Em termos de materiais e montagem, a evolução face ao seu antecessor é gigante. O novo Range Rover Evoque está mais requintado e luxuoso que nunca.

Um percepção que é acompanhada por um crescimento das quotas de habitabilidade em todos os sentidos. Graças a uma distância entre eixos maior, o novo Range Rover Evoque tem mais espaço nos lugares traseiros (+20 mm para as pernas), uma bagageira de maior capacidade (+10% = 591 litros) e mais compartimentos para arrumar pequenos objetos.

Um capot invisível?

O Range Rover Evoque é o primeiro veículo do mundo com a tecnologia Ground View que torna o capot “invisível” – uma estreia mundial apresentada num protótipo de 2014. Como funciona?

É simples: uma câmara localizada na grelha frontal e outras duas câmaras localizadas nos espelhos retrovisores recolhem imagens da estrada. Estas imagens são apresentadas no interior através de realidade aumentada e mostram o que está debaixo do carro. Em todo o terreno esta função pode ser útil para evitar dissabores. Esta função funciona até aos 30 km/h.

Tivemos oportunidade de ver esta tecnologia em ação na apresentação mundial do modelo.

Quanto ao conteúdo tecnológico, além do mais recente sistema de infotainment Touch Pro Duo e do sistema Ground View, o novo Evoque conta ainda com um completo pacote de sistemas de apoio à condução que vão desde a travagem automática até ao sistema de manutenção na faixa de rodagem.

Pequeno contacto…na piscina e não só

Durante a apresentação do novo Range Rover Evoque tivemos oportunidade de o testar durante breves momentos, num percurso técnico preparado pela marca em Londres.

A primeira sensação com que ficámos é de que existe um salto gigante em termos de qualidade. Não só em termos dos materiais utilizados, mas também ao nível da montagem e atenção ao detalhe.

Todas as superfícies estão muito bem conseguidas. O objetivo da marca é que o Range Rover Evoque seja o expoente máximo de luxo e sofisticação neste segmento.

O retrovisor com câmara de visão traseira, é uma estreia e uma ajuda enorme em manobras e ganho de visibilidade.

Com um simples toque num botão localizado no retrovisor ativamos a câmara traseira e fica vísivel o ecrã de 9.5 polegadas. O ecrã tem uma resolução de 1600×320 e a câmara de 1.7 megapixels está protegida por um película hidrofóbica.

O sistema de infotainment, à semelhança dos restantes modelos do grupo JLR, tem hotspot wi-fi 4G e a capacidade para receber atualizações remotamente.

Chassis

Houve um grande cuidado no desenvolvimento da nova plataforma. A direção está mais comunicativa, foi a sensação com que ficámos no pequeno trajeto que fizemos.

Em termos dinâmicos também há uma evolução. O centro gravítico do motor está mais próximo do eixo, algo que tem repercussões muito positivas tanto em termos de comportamento, como em termos de redução das vibrações transmitidas ao interior.

A marca anuncia um aumento de 13% da rigidez torcional e mais 21 mm de distância entre eixos

A caixa de 9 velocidades da ZF volta a marcar presença. Está mais rápida, suave e eficiente. A motorização de acesso está disponível com caixa manual e tração dianteira.

Todos mild hybrid, à excepção de uma versão.

Os clientes do novo Range Rover Evoque poderão optar, no arranque do lançamento do modelo, entre seis motores Ingenium de quatro cilindros, três a gasolina e três Diesel.

Na versão de entrada está o motor Ingenium 2.0 Td4 de 150 CV, com tração dianteira e caixa manual. com emissões de 143 g/km (ciclo NEDC Correlacionado) e consumo de 5,4 l/100 km.

Esta versão de acesso cumpre o sprint dos 0-100 km/h em 10,5 segundos e atinge uma velocidade máxima de 201 km/h. Esta é a unica versão que não é mild hybrid.

Mas é ainda nesta motorização e potência que surge o motor de acesso à gama de motorizações mild hybrid do Range Rover Evoque: o motor Ingenium 2.0 Td4 com 150 cv passa a ser mild hybrid na versão AWD com caixa automática de 9 velocidades.

Mild Hybrid, qual é a diferença?

A velocidades inferiores a 17 km/h, e durante uma travagem ou desaceleração, o motor desliga-se. Esta tecnologia consegue uma redução de até 8 g/km CO2 e uma poupança de combustível de até 6%.

Nestas situações específicas, a direção, climatização e restantes componentes eletrónicos, ficam a cargo do sistema de 48 volts.

No caso da versão de acesso da gama, este sistema consegue tornar quase imperceptíveis as diferenças de consumo e emissões face ao modelo sem AWD. Apesar do aumento de peso (+104 kg para 1891 kg na versão AWD), o consumo anunciado é de 5,6 l/100 km no ciclo NEDC Correlacionado (+ 0,2 l/100 km).

A velocidade máxima é de 196 km/h e a aceleração dos 0-100 km/h cumpre-se em 10,4 seg.

O mais potente da gama

No outro extremo da performance encontra-se uma versão de 300 CV e Tração Integral AWD a gasolina com 400 Nm de binário, emissões de 186 g/km (ciclo NEDC Correlacionado) e consumo de combustível anunciado de 8,1 l/100 km.

Com esta motorização o Range Rover Evoque é capaz de cumprir o sprint dos 0-100 km/h em 6,6 segundos. A velocidade máxima é de 242 km/h. Existem ainda outras motorizações, tanto a Diesel como a gasolina, com potências entre os 180 e os 250 cv.

Híbrido Plug-in só no final de 2019

Para o final de 2019 está prevista a chegada de uma versão híbrida plug-in, equipada com um motor turbo Ingenium tricilíndrico com 1.5 litros, 200 cv de potência e 280 Nm. O motor elétrico estará ligado ao eixo traseiro e vai debitar 108 cv de potência e 260 Nm binário máximo. A alimentar o motor elétrico e montado debaixo dos bancos traseiros, estará um pack de baterias de iões de lítio de 11.3 kWh.

Quando é que chega a Portugal e preços

Ainda não há data para o arranque da comercialização do Range Rover Evoque em Portugal, nem preços das diversas versões disponíveis.

Novamente o interior, agora com a instrumentação desligada.

No entanto e segundo a marca, os preços para o mercado português deverão rondar os 50 mil euros, para a versão com motor 2.0 Td4 de 150 cv (4×2).

Já nos segues no YouTube? Vê aqui o nosso teste ao volante do Range Rover Velar D300.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos